Quarta-feira
16 de Agosto de 2017
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017
Publicidade
Publicidade
Cuidados
O que é o golpe das cores do WhatsApp e como evitá-lo
Este novo golpe promete trocar as cores do WhatsApp, mas o objetivo é outro: encher seu celular de anúncios publicitários e acessar dados pessoais (Foto: Reprodução/G1)
Em 17/05/2017 às 19:40

Você quer trocar a cor do WhatsApp em seu celular? Pense duas vezes antes de aceitar um convite suspeito.

Uma nova fraude que promete personalizar a cor do popular aplicativo de mensagens está circulando por celulares do mundo inteiro.

Trata-se de um página na internet com o logo e a aparência do WhatsApp, mas em azul em vez de verde, além de um nome muito parecido: шһатѕарр.com.

A URL falsa usa caracteres do alfabeto cirílico ("ш"e "т") para se passar pelo original e convida usuários de dispositivos iOS, Android, Blackberry e Windows Phone a trocar a cor do WhatsApp.

A instalação, no entanto, faz proliferar um vírus que enche o aparelho de anúncios publicitários.

Como funciona e como evitar a fraude

O golpe funciona da seguinte maneira: Primeiro, pede-se que o usuário encaminhe a URL enganosa a 12 de seus contatos ou a sete de seus grupos de WhatsApp.

Em seguida, deve-se ativar um link. Pouco depois, aparece uma mensagem: as novas cores do WhatsApp estão disponíveis apenas no aplicativo de desktop.

Então, o usuário tem que instalar uma extensão do Google Chrome, cujo nome é "BlackWhats".

A página web é uma plataforma adware, ou seja, um software malicioso que mostra avisos publicitários em seu navegador.

Uma imagem de alerta já aparece no momento da instalação.

Esse tipo de golpe é conhecido como phishing e tem como objetivo acessar dados pessoais do usuário contidos em seu telefone ou conta de e-mail.

Por isso, não é recomendável clicar em sites pouco confiáveis ou fazer o download de extensões desconhecidas.

Como evitar cair em fraudes do tipo:

   . Confirme o endereço web: o fato de um endereço terminar em .org não garante que ela seja oficial. Analise o endereço com cuidado e cheque todos os caracteres.
   . https x http: mesmo que nem sempre seja uma garantia, note se aparece no início do endereço o protocolo https, a versão segura do http.
   . Não faça download de extensões suspeitas: pergunte-se se você realmente precisa instalar a extensão e por que ela é necessária.
   . Revise a gramática: os erros de ortografia são habituais nesse tipo de golpe.
   . Desconfie se o convite obriga a compartilhá-lo com seus contatos: costuma ser uma estratégia comum para distribuir o vírus adware.

Mas quem está por trás da fraude?

Não há nomes vinculados ao registro do шһатѕарр.com, mas há um endereço no Arizona, nos EUA, segundo o WHOIS, a base de dados que permite identificar o proprietário de um domínio de endereço IP na internet, explica o veículo "International Business Times".

Esta não é a primeira vez que os usuários do WhatsApp são vítimas de golpes.

Algumas ações fraudulentas tentam convidar usuários para assinaturas gratuitas do Netflix ou a ganhar dinheiro muito facilmente.

O WhatsApp sugere em seu site que se evite clicar em aplicativos que pedem para reenviar a mensagem ou que prometem ganhos financeiros.

"Sempre advertimos ao remetente: ignore e apague a mensagem", diz a empresa.

G1

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal só é permitida com o devido crédito da fonte e, caso não se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, clique aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira