Quarta-feira
23 de Maio de 2018
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 23 de Maio de 2018
Publicidade
Publicidade
Virada Cultural

Erasmo Carlos canta sucessos e embala público de 300 pessoas

Em 22/05/2017 às 17:30
Compartilhar
Cantor fez o último show da Virada Cultural neste domingo (21) (Foto: Divulgação)

Erasmo Carlos fez o último show da Virada Cultural neste domingo (21) no palco montado em frente ao Centro Cultural da Penha, na zona leste.

O tremendão cantou os principais sucessos dos seus 54 anos de carreira e conseguiu animar o público de cerca de 300 pessoas que vieram ver o show sob forte chuva, que atrasou o início em 20 minutos.

Erasmo brincou sobre o mau tempo. "É um prazer inenarrável estar aqui e a chuva faz parte da vida. Viva a chuva!". O cantor também criticou a corrupção, pedindo um viva à honestidade, seguido por gritos de "fora, Temer" de parte do público.

Entre as canções cantadas e tocadas na guitarra e na pandeirola de Erasmo estão "Sou criança", "É preciso saber viver", "Inferno", "Fama de mau" e "Vem quente", muitas delas compostas em parceria com Roberto Carlos, homenageado neste domingo (21) por Roberta Miranda, num tributo no Vale do Anhangabaú, no Centro.Após uma hora de show, o Tremendão encenou um encerramento e uma saída do palco. Com os gritos de "mais um" dos fãs, ele voltou a cantar outros sucessos aclamados: "Negro gato" e "Eu sou terrível", fechando com a animada "Festa de arromba", que fez o público dançar.

PRAÇA

O local escolhido para o show ficou alagado e enlameado com a chuva ininterrupta. Também não havia nenhum local de alimentação.

"Achei que fosse ser dentro do Centro Cultural da Penha e não na praça. Aqui não tem nada pra comer", disse a dona de casa Luciene da Silva, 55, fã do cantor há 30 anos e frequentadora da virada.

No entanto, ela elogia a descentralização dos palcos. "Moro aqui na Penha e gostei de assistir shows bons tão perto de casa."

Debaixo de uma marquise em frente à praça onde acontecia o show, o casal Elaine Elisabeth de Oliveira, 55, e Liberato Leandro Gomes, 60, disseram preferir o modelo antiga da Virada Cultural enquanto se protegiam da chuva. "Antes tinha mais atrações de peso. E no centro tinha bastante alimentação, mas aqui não tem nenhuma", disse Liberato.

 

noticiasaominuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira