Sábado
18 de Novembro de 2017
Publicidade
Publicidade
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Publicidade
Publicidade
Movimentos sociais
Cratenses reivindicam veto à lei que proíbe abordar Gênero nas escolas do município
Cratenses reivindicam que prefeito vete abordar Gênero nas escolas do município (Foto: Divulgação)
Em 14/11/2017 às 15:10

Por João Boaventura Neto
 

Integrantes de movimentos sociais de Crato realizaram mobilização, na manhã dessa terça-feira (14), reivindicando que o prefeito Zé Aílton Brasil (PP) vete o Projeto de Lei que proíbe abordagem de questões de gênero nas escolas públicas.

O grupo, composto por professores, estudantes e profissionais do Direito, fizeram manifestação ao lado da sede da Prefeitura Municipal, Palácio Alexandre Arraes. A informação é do jornalista Lucion Oliveira.

A argumentação do grupo é que a lei fere a Constituição Federal e demais dispositivos como a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais) e DCNs (Diretrizes Curriculares Nacionais), cabendo apenas à União dispor sobre o assunto.

Para o professor Cacá Araújo, que estava na manifestação, o desejo é que a educação seja verdadeiramente laica, inclusiva, democrática e sem qualquer tipo de mordaça ou impedimento ao pleno ofício do educador. “Somente assim conseguiremos êxito no combate à ignorância, ao preconceito e à violência sofrida principalmente por negros, mulheres e comunidade LGBT”, Pondera.

O projeto de Lei, que proíbe abordar questões de gênero nas escolas municipais de Crato, é de autoria do vereador Bebeto Anastácio (PTN) e foi aprovado no último dia 23 de outubro.

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal só é permitida com o devido crédito da fonte e, caso não se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, clique aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira