Segunda-feira
22 de Janeiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Infarto fulminante
Homem morre dormindo após comer feijoada, no interior de SP
Segundo os paramédicos, a vítima sofreu um infarto devido à sua condição física associada à quantidade de alimento ingerida (Foto: iStock)
Em 05/12/2017 às 07:10

No último sábado, um homem de 49 anos sofreu um infarto durante o sono após o almoço em São Carlos, interior do estado de São Paulo. Segundo os familiares da vítima, ele havia comido três pratos de feijoada logo antes de dormir.

Infarto

De acordo com informações do jornal local A Cidade ON, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado quando a vítima não respondeu aos chamados da família.

Os paramédicos informaram que “foi constatado que o homem teria sofrido um infarto devido à sua condição física associada à quantidade de alimento ingerida“. Segundo o SAMU, vestígios de alimentos foram encontrados em sua boca. A equipe realizou tentativas de reanimar a vítima, mas sem sucesso. Não foram divulgadas outras informações.

Comer antes de dormir

De acordo com pesquisadores da Universidade de Dokuz, na Turquia, fazer refeições pesadas antes de dormir pode causar efeitos adversos, como refluxo, aumento da pressão arterial e obesidade (quando a prática se torna um hábito). Além disso, comer muito antes de praticar exercícios também pode gerar mal-estar, como suor frio, tontura, vômito e desmaio.

Fonte: Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal só é permitida com o devido crédito da fonte e, caso não se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, clique aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira