Quarta-feira
13 de Dezembro de 2017
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
Publicidade
Publicidade
Ensino superior
Após reforma trabalhista, Estácio faz demissão em massa de professores
Estácio informou em nota que criará um cadastro de reserva para novos professores (Foto: Estácio/Divulgação)
Em 06/12/2017 às 16:50

O Grupo Estácio realizou a demissão em massa de professores após a entrada em vigor da reforma trabalhista, segundo o Sindicado dos Professores de São Paulo (SinproSP). A universidade confirma as demissões, mas não informa o número de profissionais cortados. O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, informa que foram dispensados 1.200 professores. De acordo com o Sinpro, só no Rio foram cortados 450 profissionais. Em São Paulo, outros cem foram dispensados pela Estácio, informa o sindicato.

Em nota, a Estácio informa que “promoveu uma reorganização em sua base de docentes” no fim do segundo semestre letivo. “O processo envolveu o desligamento de profissionais da área de ensino do grupo e o lançamento de um cadastro reserva de docentes para atender possíveis demandas nos próximos semestres”.

Para o Sinpro, a criação de cadastro reserva indica que a Estácio fará recontratações com salários inferiores ao dos professores demitidos. O sindicato afirma que a Estácio não pode admitir isso, pois configuraria fraude trabalhista.

Em nota, a Estácio afirma que os novos profissionais serão recontratados pelo regime CLT, que prevê novas formas de contratação após a reforma trabalhista – caso do contrato intermitente, que permite que a empresa pague apenas pelas horas que necessitar do funcionário.

“A reorganização tem como objetivo manter a sustentabilidade da instituição e foi realizada dentro dos princípios do órgão regulatório”.

A Estácio publicou um comunicado no Facebook informando sobre as demissões. O post recebeu mais de 2.000 reações, a maioria negativa. “Tirar os melhores professores não vai garantir um ensino de excelência, muito pelo contrário. Como aluna e educadora digo que o anseio de um aluno de universitário deve ser o de aprender, não o de passar nas disciplinas sem sacrifício”, escreveu uma aluna.

Fonte: Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal só é permitida com o devido crédito da fonte e, caso não se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, clique aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira