Segunda-feira
19 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Pernambuco

Vizinho confessa que matou mulher com 30 facadas em Olinda

Imagem da casa de Marcela, onde ocorreu o crime, foi divulgada pela Polícia Civil, que concluiu o inquérito (Foto: Polícia Civil/Divulgação))
Em 09/01/2018 às 16:05

Provas periciais e exames de DNA comprovaram que Denilson Andrade da Silva, 28 anos, matou a vizinha Marcela Gomes Leite, 32 anos, com 30 facadas, no bairro de Aguazinha, em Olinda, no Grande Recife, no fim do ano passado. A informação foi divulgada, nesta terça (9), pela Polícia Civil de Pernambuco, que concluiu o inquérito."Não temos dúvida. Ele confessou o crime”, ressaltou a delegada Fabiana Leandro, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Segundo a polícia, material genético de Denílson foi encontrado sob as unhas da vítima e na capa de um celular achado em um terreno baldio perto da residência dele. O crime ocorreu em 26 de dezembro de 2017, na casa da vítima.

O assassino confesso foi preso três dias depois. Ele está no Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana, e deve ter a prisão provisória, já decretada, convertida em prisão preventiva.

De acordo com a delegada, Denilson afirmou, durante o interrogatório, que invadiu a residência de Marcela para roubar dinheiro que estava guardado. “Ela acordou e reagiu. Denílson contou com detalhes como desferiu os golpes de faca na vítima!”, acrescentou Fabiana Leão. Segundo a policial, ele disse também que tinha consumido álcool e drogas antes de praticar o latrocínio.

A delegada disse, ainda, que Denílson tem histórico de pasagens pela polícia por roubos e furtos. Ele tem no prontuário uma fuga da Penitenciária Agroindustrial São João, em Itamaracá, no Grande Recife. “Ele ganhou liberdade condicional em setembro de 2017, pouco tempo antes de praticar o crime contra Marcela”, comentou.

Com as provas contra Denílson, a polícia descartou o envolvimento de outras pessoas no crime. Logo após o assassinato, surgiram três linhas de investigação. A primeira seria uma vingança, motivada em razão de um primo da vítima ter praticado um homicídio na localidade.

A segunda seria um crime passional. Um suspeito, amigo da família, teria assediado a vítima na noite anterior ao crime. Um ex-namorado de Marcela também chegou a ser considerado suspeito. "Todas as hipóteses foram descartadas. Dois suspeitos foram levados para a delegacia e para a perícia. A análise descatou o envolvimento deles", declarou a delegada.

Cena do crime

O perito Diego Costa, do DHPP, informou que a cena do crime confirmou a extrema violência de Denilson. “Foi um crime brutal e bárbaro A vítima lutou muito para se defender”, informou.

Segundo ele, havia pegadas e sinais de que Denílson entrou pela janela. "Há evidências de que o corpo foi arrastado do quarto para a cozinha. Também fizemos uma perícia e descartamos qualquer indício de abuso sexual”, comentou.

A delegada Fabiana Leandro acrescentou que Denílson disse ter se arrependido depois de efetuar os golpes. "Ele arrastou o corpo para o banheiro para tentar reanimá-la", disse.

Fonte: G1 PE

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira