Quinta-feira
18 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segundo dados

Ceará teve ano mais violento da história, com mais de 5 mil assassinatos

Em 13/01/2018 às 06:30
Compartilhar
Número de homicídios no Estado preocupa autoridades da Segurança Pública (Foto: Reprodução/ Tribuna do Ceará)

O mês de dezembro de 2017 registrou 179 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) em Fortaleza, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social.

O número representa um aumento de mais de 100% se comparado aos 87 casos registrados no mesmo período do ano anterior. Os dados foram disponibilizados na tarde desta sexta-feira (12), em entrevista coletiva.

Já o estado do Ceará terminou com os números mais negativos da história – 2014 possuía a pior marca com 4.439 crimes de CVLI.

A ano de 2017 encerrou com 5.135 casos desse tipo, uma média de 14 mortes por dia. O dado superou em mais de 15% a média de 2014. O Tribuna do Ceará já havia adiantado em novembro, que se a média de 2017 fosse mantida, o ano terminaria com mais de 5 mil casos registrados.

Se comparado a 2016, o Estado apresentou aumento de mais de 50% no número de mortes, saltando de 3.407 para 5.134. Já na capital, os números mostram uma realidade ainda pior. Os crimes violentos letais intencionais passaram de 1.007 para 1.978, crescendo 96,6%.

No mês de dezembro, os furtos registraram aumento de 1,5%, em Fortaleza. No Ceará, esse aumento foi de 5,5%. No comparativo entre os dois últimos anos o número de furtos no Estado caiu 0,4%, mas subiu 119 casos na Capital (4,6%).

A SSPDS também divulgou o balanço do número de Crimes Violentos contra o Patrimônio 1 (CVPs 1). Esses números representam crimes como roubos a pessoa e de documentos, mas não roubos com ou sem restrição de liberdade, a residências, de cargas e de veículos. Em dezembro, o número de casos caiu tanto em Fortaleza quanto no Ceará, se comparado com ao mesmo período em 2016. Na capital a queda foi de 16,1% e no Estado de 12%.

Já os CVPs 2 — que incluem roubo de carga, com restrição de liberdade, a residências, de veículos ou a bancos — Os números não foram bons no acumulado. Em Fortaleza, mais 141 casos foram registrados. Já em todo o Estado, o aumento foi de 1.106 casos em comparação  ao ano anterior.

Tribuna do Ceará

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira