Nordeste
Crime
Ex-vice-prefeito de cidade na Bahia, que foi alvo na Lava-Jato, é morto a tiros
Compartilhar

José Roberto Soares Vieira foi morto a tiros em Candeias, na região metropolitana de Salvador (Foto: Reprodução)

Em 18/01/2018 às 16:35
TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ex-vice prefeito de Ourolândia, cidade do norte da Bahia, José Roberto Soares Vieira, 47 anos, foi morto a tiros na entrada da empresa dele na manhã de quarta-feira (17), em Candeias, cidade da região metropolitana de Salvador.

Segundo a Polícia Militar, José Roberto também é empresário e havia sido denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em dezembro de 2017, em uma das fases da Lava Jato que investigava pagamento de propinas.

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE


De acordo com a PM, no dia do crime, testemunhas relataram à polícia que ele chegava à empresa do ramo de transportes, quando foi abordado por um homem que ofertava serviços de roçagem. Ao ser atendido pelo empresário, o suspeito sacou uma arma de fogo e disparou contra José Roberto. Após os disparos, o homem fugiu do local em uma motocicleta.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para socorrer a vítima, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A motivação do crime ainda é desconhecida. A Polícia Civil investiga o caso.

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE


Lava-jato

José Roberto Soares Vieira foi eleito vice-prefeito de Ourolândia em 2012 pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e completou o mandato. No final de 2017, foi alvo de denúncia da Operação Lava Jato apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF).

Na denúncia, o alvo principal foi o ex-gerente da Transpetro (subsidiária da Petrobras), José Antônio de Jesus que fiu preso e que também havia sido sócio de José Roberto Vieira em uma transportadora. Os dois controlaram a empresa juntos até 2013.

Conforme a denúncia, Jesus e os familiares são suspeitos de negociar o recebimento de R$ 7,5 milhões em propinas pagas por uma empresa de engenharia em troca de ser favorecida em contratos com a subsidiária da estatal brasileira. Além disso, ele é investigado por repassar a propina a integrantes do Partido dos Trabalhadores.

O engenheiro civil, Adriano Silva Correia e o empresário e delator da Operação Lava Jato, Luiz Fernando Nave Maramaldo, também foram alvos da denúncia do MPF.

Fonte: G1 BA


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria
Publicidade

Enquete
Qual rede social você mais usa?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor