Quinta-feira
15 de Novembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Quinta-feira, 15 de Novembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Janeiro

IBGE: gastos maiores com alimentos e transportes pressionam inflação

Em 23/01/2018 às 09:30
Compartilhar
As famílias gastaram mais com o tomate (19,58%), a batata-inglesa (11,70%) e as frutas (4,39%) (Foto: Reprodução)

Os gastos maiores com Alimentos e Transportes pressionam a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) em janeiro, informou nesta terça-feira, 23, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A alta registrada pelo grupo Transportes foi mais acentuada (0,86%, com impacto de 0,16 ponto porcentual), mas a contribuição para a inflação foi maior do grupo dos Alimentos (0,76% de aumento, com impacto de 0,19 ponto porcentual).



O grupo Alimentação e Bebidas interrompeu uma sequência de sete meses de quedas consecutivas, devido à pressão dos alimentos consumidos em casa, que aumentaram 0,97% em janeiro. As famílias gastaram mais com o tomate (19,58%), a batata-inglesa (11,70%) e as frutas (4,39%). As carnes subiram 1,53%, após já terem registrado alta de 0,41% em dezembro.

Na direção oposta, voltaram a ficar mais baratos itens como o feijão-carioca (de -5,02% em dezembro para -5,86% em janeiro) e o leite longa vida (de -0,24% para -1,69%).

Quanto à alimentação fora de casa, os preços variaram desde uma queda de 0,97% na região metropolitana de Porto Alegre até uma alta de 2,33% em Curitiba.

Combustíveis

Os combustíveis ficaram 2,54% mais caros em janeiro, pressionando a inflação medida pelo IPCA-15. O destaque foi a alta de 2,36% no preço da gasolina, item de maior impacto sobre a inflação no mês, o equivalente a uma contribuição de 0,10 ponto porcentual para o IPCA-15 de 0,39% de janeiro.

O litro refletiu nas bombas os reajustes autorizados pela Petrobras nas refinarias, que totalizaram 2,75% no período de coleta do IPCA-15 (de 14 de dezembro de 2017 a 15 de janeiro de 2018).

As despesas das famílias com Transportes aumentaram 0,86% no mês, pressionadas também pelo encarecimento do etanol (3,86%), da tarifa de ônibus urbano (0,43%) e de ônibus intermunicipal (0,94%).

Os ônibus urbanos tiveram elevação decorrente de variações apropriadas em Salvador (alta de 1,20%, que refletiu o reajuste de 2,78% nas tarifas desde 2 de janeiro) e em São Paulo (aumento de 1,32%, onde o reajuste foi de 5,26% a partir de 7 de janeiro). Em São Paulo, as tarifas de trem (1,32%) e metrô (1,32%) também foram reajustadas em 5,26% na mesma data. 


noticiasaominuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira