Quinta-feira
16 de Agosto de 2018
Publicidade
Publicidade
Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018
Publicidade
Publicidade
Venda

Valor de mercado da Nextlix ultrapassa US$ 100 bilhões

Em 23/01/2018 às 10:55
Compartilhar
(Foto: Reprodução/ Terra)

Empresa que revolucionou indústria do cinema e televisão recebeu 8,3 milhões de novos assinantes no último trimestre de 2017, investindo no mercado internacional e em produções originais de filmes e séries.No último trimestre de 2017, a Netflix ganhou 8,3 milhões de novos assinantes em todo o mundo - 2 milhões apenas nos EUA - capitalizando pela primeira vez mais de 100 bilhões de dólares e triplicando os lucros da empresa que revolucionou a indústria do cinema e da televisão.

A divulgação dos resultados fez com que as ações da Netflix subissem 9% no mercado de ações nesta segunda-feira (22/01) após um bom desempenho em todo o mês de janeiro e de um crescimento de 53% no ano passado.

No mercado internacional, a empresa recebeu 6,3 milhões de novas assinaturas entre outubro e dezembro de 2017, superando as expectativas de 5,1 milhões, com o lançamento de séries aclamadas como Stranger Things e The Crown. Os serviços da Netflix estão disponíveis em 190 países, com 110,6 milhões de assinantes em todo o mundo.

Fundada em 1997, a Netflix se transformou de um serviço que comercializava DVDs pelo correio para um concorrente do canal HBO no mercado de filmes online. Mais tarde, a sua expansão lhe permitiu produzir séries e filmes originais, diminuindo a dependência dos estúdios cinematográficos. As produções da Netflix já ganharam vários prêmios.

"Em 2017, aumentamos em 36% nossa receita, para 11 bilhões de dólares, acrescentamos 24 milhões de novos membros (comparados aos 19 milhões de 2016), atingimos pela primeira vez um ano inteiramente positivo no lucro de contribuições internacionais e dobramos nossa receita operacional global", afirmou a empresa em carta aos acionistas.

A Netflix planeja investir 8 bilhões de dólares em 2018 em filmes e séries originais, para afastar a concorrência de serviços semelhantes fornecidos por empresas como Amazon, Hulu e Disney. Esta última vem investindo pesado em serviço próprio de streaming, preparando para 2019 o lançamento de novos filmes e séries, além de remover suas produções do acervo da Netflix.

"Escolhemos uma estratégia de negócios que, essencialmente, nos leva a investir nossos lucros domésticos na expansão internacional", afirmou o CEO da Netflix, Reed Hastings. "Acreditamos que seja a atitude correta, mas certamente requer coragem de nossos investidores."

A Netflix prevê para o primeiro trimestre de 2018 a adesão de 6, 35 milhões de novos assinantes, bem acima das expectativas dos analistas de mercado.

Terra

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira