Quinta-feira
22 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Socos e puxão de cabelo

Menino de 7 anos é detido nos EUA por bater em professora

Em 30/01/2018 às 14:10
Compartilhar
A insatisfação com a ordem da professora que pediu para o aluno parar de brincar com a comida na lanchonete, levou-o a agredi-la com socos, chutes e puxões de cabelo (Foto: Reprodução/Facebook)

Um menino de sete anos foi detido em Miami, nos Estados Unidos, por ter agredido a professora dentro da escola. O garoto teria ficado com raiva depois que a educadora o repreendeu por estar brincando com comida na lanchonete. A polícia o algemou e o levou para avaliações psicológicas no hospital. A mãe acusa a polícia de abuso de poder.

O caso aconteceu na última quinta-feira. Segundo relatos, a docente teria pedido ao menino para que parasse de brincar com a própria comida. Ele então se recusou a parar e foi retirado do local. Nesse momento, o garoto desferiu diversos golpes nas costas da professora, entre socos e chutes, além de puxá-la pelos cabelos. A agressão só parou quando ambos caíram no chão.

A polícia levou o menino algemado para um hospital infantil da Flórida com o intuito de fazer exames psicológicos. Uma lei do estado permite que a polícia leve os detidos com possíveis problemas mentais para avaliação dentro de um período de 72 horas, mesmo contra sua vontade.

Em entrevista à Associated Press, a mãe do estudante, Mercy Alvarez, negou que o filho tivesse qualquer problema mental e chamou a atitude de “abuso policial”. “Se meu filho não estava mais agressivo quando chegamos, como eles dizem que ele estava, por que tomar medidas tão extremas? Isso é demais para um garoto da idade dele. Não pode ser um procedimento normal”, afirmou.

No Facebook, Alvarez compartilhou um vídeo do momento da detenção do filho. “Um amigo postou este vídeo no dia em que eu me senti impotente ao ver meu filho de 7 anos algemado por uma oficial escolar, acusado injustamente de ter problemas mentais. Mas eu quero que essa oficial saiba que nunca mais fará mal a nenhuma criança desta maneira. Aos pais que passaram pelo mesmo, só posso recomendar que não se calem. Uma criança de 7 anos não merece viver uma situação como esta. Peço a todos os meus amigos que compartilhem para que se conheça esta injustiça”, escreveu.

Ela ainda afirmou que o menino não havia aparentado comportamento agressivo em casa e tentava entender porque o filho estaria tendo este comportamento desde o início do ano letivo. A mãe acrescentou que a criança possuía boas notas em anos anteriores, além de participar das atividades escolares.

O pai da criança, no entanto, concordou com os funcionários da escola de que o filho deveria passar por avaliação psicológica. Diversos funcionários e estudantes testemunharam a agressão, que também ficou registrada pelas câmeras do local. Essa não é a primeira vez que o menino se envolve em problemas. Em novembro, ele foi detido por agredir funcionários e colegas da escola, além de ser agressivo com a policial que o deteve.

Fonte: Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira