Domingo
27 de Maio de 2018
Publicidade
Publicidade
Domingo, 27 de Maio de 2018
Publicidade
Publicidade
Justiça Federal

Instituto de Defesa do Consumidor pede suspensão da cobrança antecipada do DPVAT

Em 31/01/2018 às 17:10
Compartilhar
Um dos pedidos do Instituto requer a suspensão do novo prazo de pagamento do DPVAT (Foto: Reprodução)

Uma ação civil pública foi ajuizada pelo Insituto de Defesa do Consumidor (Ipedc), nesta quarta-feira (31), contra a Seguradora Líder, o Ministério da Fazenda e a Superintendência de Seguros Privados (Susep) para pedir a suspensão do novo prazo estabelecido para o pagamento do Seguro DPVAT. A ação está na 8ª Vara da Justiça Federal de Fortaleza.

O Ipedc faz quatro pedidos à Seguradora Líder, segundo o coordenador geral Marcelo Nocrato. "O primeiro é que o prazo de vencimento da prestação, que é hoje, seja suspenso. O segundo é que os consumidores que iam pagar depois do vencimento do prazo não paguem multa, juros, nem nada desse tipo, caso a decisão não saia hoje. O terceiro é que o prazo seja como nos anos anteriores, junto do licenciamento. Por último, a Seguradora disse que quem não pagasse o seguro não receberia o pagamento indenizatório. Isso contraria a súmula 257 do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Por isso, pedimos que a Justiça determine o cumprimento dessa súmula", explica.

Conforme determinação divulgada no dia 24 de janeiro deste ano, a Seguradora Líder mudou o prazo do pagamento do DPVAT, que agora coincide com com o pagamento da cota única ou primeira parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Na terça-feira (31), o Ministério Público Federal Seção Ceará (MPF-CE) recomendou que a Seguradora Líded torne sem efeito a decisão de pagamento em uma única parcela anualmente. De acordo com o procurador da República Oscar Costa Filho, autor da recomendação, a deliberação da Seguradora Líder "é um ato abusivo e ilegal contra o usuário de trânsito". Segundo ele, a resolução vai de encontro ao entendimento do próprio Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE), do qual cobrou providências.

Em nota enviada na terça-feira, a Seguradora Líder informou que "não recebeu, formalmente, a recomendação citada" e reiterou o argumento de que segue a Resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) 332/2015, na qual é estipulado que "o vencimento do Seguro DPVAT deve ser o mesmo da cota única do IPVA em todos os estados".

Fonte: Diário do Nordeste

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira