Domingo
25 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Domingo, 25 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Na Coreia

Brasileira quebrará recorde ao disputar Olimpíada de Inverno

Em 07/02/2018 às 10:40
Compartilhar
A delegação brasileira já está em PyeongChang, na Coreia do Sul, para a disputa dos Jogos de Inverno. (Foto: Reprodução/ Terra)

O Brasil será representado por dez atletas na Olimpíada de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, que começa nesta quinta-feira (8) e se estenderá até 25 de fevereiro. Não há nenhuma expectativa de conquistas de medalhas pela delegação do País. No entanto, os Jogos vão servir para que a mineira Jaqueline Mourão estabeleça um recorde: vai competir pela sexta vez em olimpíadas.

Atleta de esqui cross country, ela se juntará assim a Formiga (futebol), Torben Grael e Robert Scheidt (vela), Rodrigo Pessoa (hipismo) e Hugo Hoyama (tênis de mesa). Mas com um diferencial: dos recordistas, é a única que participou dos Jogos de Inverno e de Verão.

Na Coreia, os brasileiros vão disputar provas de esportes praticamente desconhecidos no território nacional, como esqui alpino, bobsled, patinação artística e snowboard, além do esqui cross country. Essas modalidades são vinculadas à Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) e à Confederação Brasileira de Desportos no Gelo (CBDG).

Ambas estão contempladas no orçamento do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para 2018 com recursos da Lei Agnelo Piva – R$ 2,3 milhões para a CBDN e outros R$ 2 milhões destinados à CBDG. Dos dez atletas, oito estão na lista do Ministério do Esporte como beneficiários do programa bolsa-atleta para 2018.

Dado curioso da Olimpíada de Inverno, para os brasileiros, foi a presença de Claudinei Quirino na equipe de bobsled, em 2006, na Itália. Medalha de prata no revezamento 4 x 100, em Sydney, em 2000, ele quis ter a experiência de ficar a bordo de um trenó que desce num circuito sobre a neve em alta velocidade. Acabou não levando sorte.

Sua equipe sofreu dois acidentes. Num deles, com o trenó virado, os ocupantes cruzaram a linha de chegada de cabeça para baixo, com os capacetes no gelo a uma velocidade de 130 quilômetros por hora. Foi só um susto, ninguém se machucou.

Terra

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira