Polícia
Homicídios em Juazeiro
Janeiro terminou com três assassinatos em Juazeiro contra 12 no mesmo período do ano passado
Compartilhar

Wallisson foi morto numa intervenção policial, enquanto Márcio tombou sem vida no Frei Damião e “Bebezão” no interior da Penitenciária (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

Por Demontier Tenório
Em 13/02/2018 às 06:30
Publicidade

Com três homicídios nos bairros Antonio Vieira, Frei Damião e na Penitenciária de Juazeiro, o mês de janeiro foi um dos mais calmo da história. O primeiro mês do ano teve a mesma quantidade que dezembro e nove a menos que janeiro de 2017 quando 12 pessoas tombaram sem vida em Juazeiro. Assim, Juazeiro começa bem o ano com três homicídios em janeiro.

Segundo levantamento do Site Miséria, em janeiro os bairros onde houve o registro de homicídios foram Antonio Vieira e Frei Damião, além da PIRC e os dois bairros começam como os mais violentos com um percentual de 33,3% do total de três homicídios. Em 2017, foram 12 assassinatos representando, este ano, ¼ na comparação com o ano passado. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Publicidade


Dia 02 - Wallisson César Pereira Alves, de 26 anos, que residia na Rua Pelusio Correia de Macedo (Leandro Bezerra), morreu ao ser baleado numa intervenção de policiais militares do RAIO após praticar um assalto na Rua das Acácias no bairro Antonio Vieira. Segundo a PM, o mesmo era acusado de assaltos e já tinha algumas passagens pela polícia.

Dia 19 - Cícero Márcio Mariano Ares, de 38 anos, que residia na Rua Ana Teles Venâncio, 47 (Frei Damião), teve o corpo encontrado num terreno baldio na Rua Francisco Martins de Souza perto da Caixa D’água naquele bairro apresentando perfurações à bala. Ele respondia por crimes de ameaça e tráfico de drogas e, na sua casa, a polícia encontrou uma espingarda calibre 12 municiada.

Publicidade


Dia 19 – Eduardo Leandro Alves, de 23 anos, o “Bebezão” que residia na Rua Domingos Sávio (Timbaúbas) foi espancado por cerca de dez internos que o decapitaram, colocaram a cabeça junto dos pés e atearam fogo carbonizando o corpo na vivência 4 da Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC). Ele respondia por crimes de porte ilegal de arma de fogo, assaltos, lesão corporal e o assassinato de Francisco Aílton Paixão de Lima, de 17 anos, no dia 29 de novembro de 2014.


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria
Publicidade

Enquete
Você acredita no bom desempenho do Guarani e do Barbalha no Campeonato Cearense Série A?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor