Terça-feira
18 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Terça-feira, 18 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Estatina

Novo medicamento para controle do colesterol não interfere na glicemia

Em 13/02/2018 às 14:30
Compartilhar
A pitavastatina também não interfere no efeito dos coquetéis retrovirais, podendo ser utilizada por pacientes com HIV (Foto: Divulgação)

Segundo o Ministério da Saúde, 40% dos brasileiros têm colesterol elevado. O aumento de gordura no sangue provoca índices de colesterol (LDL) acima do recomendável, o ideal é abaixo de 50mg/dL, o que pode desencadear várias e sérias doenças, como risco maior de 50% para infarto e 25% para derrame. Atualmente, o mercado brasileiro comercializa uma nova estatina para o tratamento de doenças do coração: a pitavastatina. 

“As estatinas inibem a produção de colesterol no fígado (a maior fonte de colesterol no organismo) e aumentam a remoção do colesterol ruim do sangue pelo fígado, diminuindo a quantidade total. Também ajudam a reduzir o teor de gordura no sangue, além de melhorar a elasticidade das artérias. Entre elas, a pitavastatina é a mais recente estatina no mercado, possuindo benefícios adicionais como a não interferência na glicemia (níveis de açúcar no sangue).

Essa característica da pitavastatina faz com que o medicamento tenha potencial para ser utilizado, dentre outros, por pacientes pré-diabéticos e diabéticos. Ela também não interfere no efeito dos coquetéis retrovirais, podendo ser utilizada por pacientes com HIV. Essas são características essenciais para esses grupos de pacientes, embora todos os outros com altos níveis de colesterol também possam utilizar”, explica Ruy Lyra, médico e professor de endocrinologia da Universidade Federal de Pernambuco.

Acúmulo de gordura

O colesterol é uma gordura que contribui para o funcionamento do corpo. Entretanto, há dois tipos de colesterol no organismo que devem ser monitorados: o LDL e HDL. O LDL, conhecido como colesterol ruim, causa o acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos, que pode levar aos eventos cardiovasculares e mesmo mortalidade cardiovascular. Por outro lado, o HDL, conhecido como colesterol bom, tem a função de retirar o colesterol ruim da corrente sanguínea e levá-lo para o fígado, onde é metabolizado e eliminado do organismo.

“A única forma de saber se alguém tem colesterol é por meio do exame de sangue. Com ele, é possível medir o colesterol total e suas frações, ou seja, o bom e o ruim, na corrente sanguínea. Se o colesterol total (CT) for superior a 190 mg/dL é preciso ficar atento aos riscos”, explica Lyra.

De acordo com o especialista, as principais razões que levam as pessoas a terem altos níveis de colesterol ruim são: fatores genéticos, diabetes, fumo, estar acima do peso e sedentarismo. Portanto, a melhor forma de prevenir o colesterol alto é ter, primeiramente, uma alimentação saudável. “Muitas frutas, legumes frescos, bem como alimentos com baixo teor de gordura e ricos em fibra devem fazer parte das refeições diárias. Importante evitar o consumo de frituras, carnes gordurosas e moderar o consumo de bebidas alcoólicas. Com a dieta saudável em dia, atividade física é essencial para o funcionamento do organismo como um todo.

Fonte: Diário do Nordeste

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira