Política
Por maioria dos votos
STJ mantém prisão domiciliar de ex-primeira-dama do Rio
Compartilhar

Em dezembro do ano passado, o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu que Adriana Ancelmo deveria voltar a cumprir prisão domiciliar (Foto: Reprodução/ Notícias ao Minuto)

Em 28/02/2018 às 07:45
Publicidade

Por maioria de votos, a Sexta Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu nesta terça-feira (27) manter a prisão domiciliar concedida à ex-primeira-dama do Rio de Janeiro Adriana Ancelmo. A decisão foi tomada com base no entendimento de que investigadas que estão grávidas ou são mães de crianças com até 12 anos podem ter a prisão preventiva convertida em domiciliar. As informações são da Agência Brasil.

Em dezembro do ano passado, o ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu que Adriana Ancelmo deveria voltar a cumprir prisão domiciliar. A decisão foi tomada antes de o STJ analisar o mérito da questão.

Publicidade


Gilmar Mendes derrubou uma decisão do TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), que aceitou um recurso do Ministério Público e determinou que a ex-primeira-dama fosse transferida para o regime fechado. Ela cumpria prisão domiciliar em seu apartamento no Leblon, zona sul do Rio, por ter filhos menores de idade, a partir de uma decisão de um juiz da primeira instância.

NoticiasaoMinuto


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria
Publicidade

Enquete
Você acha que deve haver leis mais duras para quem agride animais no Brasil?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor