Quarta-feira
19 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Pressão

Raí trabalha nos bastidores para Dorival não ser demitido

Em 28/02/2018 às 10:15
Compartilhar
Raí, executivo de futebol do São Paulo Futebol Clube (Foto: Reprodução)

A pressão em cima do técnico Dorival Júnior no São Paulo não parte apenas da torcida, que na última semana pediu sua saída em protesto na porta do centro de treinamento e também o hostilizou no Morumbi. Internamente, há dirigentes que já perderam a paciência com o técnico e gostariam de promover André Jardine, técnico do Sub-20, para ser interino no profissional enquanto a cúpula do futebol procura por um novo treinador.

Mesmo assim, o presidente Leco tem resistido, muito por influência de Raí. O diretor-executivo, e também um dos maiores ídolos da história do clube, tem aparecido muito pouco publicamente, mas tem trabalhado forte para que Dorival tenha mais tempo para mostrar seu trabalho.

Na última segunda-feira, ao lado de do coordenador de futebol Ricardo Rocha e do superintendente de relações internacionais Diego Lugano, Raí expôs a Leco a sua opinião, reforçou a ideia de que seria um erro demitir Dorival naquele momento e apontou os pontos positivos no que vem sendo feito, apesar da má fase do time.

Em contrapartida, o ex-camisa 10, junto com Ricardo Rocha e Lugano, se comprometeu a buscar entender os motivos pelo qual a equipe não tem conseguido bons resultados. Houve uma reunião com os líderes do elenco e foi passado à diretoria, conforme revelou o goleiro Sidão nessa terça-feira, de que o problema não é técnico, e sim de caráter emocional.

Ainda na noite dessa terça, Raí se reuniu com membros do Conselho Deliberativo e voltou a reforçar seu apoio a Dorival Júnior. Até em uma tentativa de garimpar mais paciência e tolerância para que o técnico ganhe tempo e condições mais tranquilas, o diretor-executivo de futebol procurou se mostrar otimista com o futuro do São Paulo em campo.

Nos últimos dois anos e dez meses, o clube teve seis técnicos e três interinos diferentes. Esse histórico está incomodando Leco, que por conta disso, tem apresentado uma maior resistência em decidir por outra troca no comando. O presidente decidiu ouvir Raí e segurar a pressão.

 

veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira