Sábado
22 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Sábado, 22 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Redenção

Artilheiro do mundo em 2017 era motivo de ´chacota´ quando jovem

Em 07/03/2018 às 13:00
Compartilhar
Harry Kane era preterido por companheiros de clube (Foto: Reprodução/ Notícias ao Minuto)

Harry Kane se tornou o maior artilheiro do mundo em 2017, com 57 gols, desbancando ninguém menos que Lionel Messi e Cristiano Ronaldo. Atualmente, o Tottenham já afirmou que não vende o jogador por menos de 350 milhões de euros, mais de 1,4 bilhão de reais. Mas a vida nem sempre foi fácil para o atacante da terra da rainha.

Aos 24 anos, Kane já foi motivo de chacota entre ex-companheiros de clube. Ele passou cinco anos rodando por times ingleses e sendo dispensado das categorias de base de cada um deles: Ridgeway Rovers, Watford e Arsenal.

Mesmo após ser acolhido pelo Tottenham, informa a ESPN, Kane foi emprestado inúmeras vezes: Leyton Orient, Millwall, Norwich City e Leicester.

Sandro, ex-volante do clube londrino e da seleção brasileira revelou em entrevista o canal uma outra curiosidade sobre Kane: o bullying sofrido por ele:

"Fora isso, a torcida do clube sempre pedia a contratação de grandes atacantes, então em um ano veio o Adebayor, no outro o Soldado, tinha o Defoe, também joguei com o Pavlyuchenko... Chegava centroavante atrás de centroavante e os caras não davam oportunidade para ele", recorda.

Sandro relembra que sua moral (de Kane) subiu após 2012:

"Teve um ano que ele ficou um pouco mais com a gente, treinando com o André Villas-Boas. Ele ficava no elenco e começou a ganhar moral com o pessoal, pois é muito educado e todos gostavam muito dele", relata. "Mas ele era visto só como ´um menino da base´, então não davam muita moral pra ele. Hoje eu até entendo, porque para jogar no Tottenham você tem que estar ´voando´. Ele era novo, então consideravam que ele precisava antes pegar experiência em outros lugares, por isso ele ia e voltava", acrescenta.

O volante brasileiro aproveitou também para elogiar a força de vontade do ex-companheiro:

"O Kane eu defino em uma palavra: batalhador. Tudo que ele faz é questão de treinamento e confiança. Desde quando ele era jovem eu e o (goleiro) Gomes falávamos dele: ´Caramba, o moleque está impossível, está treinando muito bem´", relata.

NoticiasaoMinuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira