Quarta-feira
15 de Agosto de 2018
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
Publicidade
Publicidade
Cantor foi baleado

Promotor pede prisão preventiva de PM envolvido em briga em padaria no PI

Em 18/05/2018 às 17:00
Compartilhar
Briga teve tiros e deixou o cantor Saulo Dugado baleado (Foto: Reprodução)

A 9ª Promotoria de Justiça pediu a prisão preventiva do policial militar envolvido em uma briga com o cantor Saulo Dugado em uma padaria localizada na Zona Leste de Teresina, na última quinta-feira (17). O PM é um dos suspeitos de envolvimento no sumiço de parte do dinheiro roubado durante um assalto ao banco do Nordeste em dezembro de 2018 em Teresina.

O pedido veio por que o policial, que responde a processo criminal, estaria em liberdade sob a condição de não portar arma de fogo (exceto em serviço) e não se envolver na prática de novos delitos. O pedido foi feito pelo promotor Assuero Stevenson da 9ª Promotoria de Justiça.

A defesa do policial militar Wanderley Rodrigues da Silva argumentou que o policial agiu de forma a manter a ordem. "Ele tem o dever de agir em uma situação em que ele presencia um crime. A lei obriga a ele, e ele teve de usar a força moderada. Ele foi extremamente profissional", disse o Walter Menezes, advogado do policial.

De acordo com o advogado, o policial fez dois disparos em direção ao chão. Um dos disparos acertou uma das coxas do cantor Saulo Dugado. "Intuito dele foi cessar aquela agressão", disse Walter. De acordo com a defesa, o policial registrou um boletim de ocorrência e passou por exames de corpo de delito na manhã desta sexta-feira (18).

O cantor Saulo Dugado permanece internado em um hospital particular de Teresina. Ele foi atingido por um disparo em uma das coxas, e a bala se alojou no joelho. O cantor disse que a confusão começou após um "bate-boca" entre ele e o gerente do estabelecimento.

"Eu admito que estava num momento ruim, sou um ser humano e tenho oscilações de humor e destratei algumas pessoas. Mas ele devia me chamar e dizer: ou você se retira do local ou lhe dou voz de prisão", argumentou Saulo.

Fonte: G1 PI

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira