Política
Eleições 2018
Bolsonaro cresce 2 pontos após atentado e chega a 24%, diz Datafolha
Compartilhar

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Em 11/09/2018 às 07:30
TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Jornal Nacional publicou na noite desta segunda-feira, 10, novos números do Datafolha para a disputa pela Presidência da República. O levantamento, o primeiro divulgado depois do atentado a faca contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL), mostra que o deputado federal manteve a liderança na corrida presidencial e chegou a 24% das intenções de voto, um crescimento de 2 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior do instituto, publicada em 22 de agosto. As intenções de voto em Bolsonaro variaram dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O presidenciável foi esfaqueado no abdome em um ato de campanha em Juiz de Fora (MG) na última quinta-feira, 6, e está internado na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Depois do candidato do PSL, conforme o Datafolha, vêm Ciro Gomes (PDT), com 13% da preferência, empatado na margem de erro com Marina Silva (Rede), que tem 11%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 10%, e Fernando Haddad (PT), com 9%.

Alvaro Dias (Podemos) aparece com 3%; João Amoêdo (Novo), com 3%; Henrique Meirelles (MDB), com 3%; Vera Lúcia (PSTU), Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL), com 1% cada; e João Goulart Filho (PPL) e José Maria Eymael (DC), ambos com 0%. Eleitores que responderam que pretendem votar em branco ou nulo são 15%, enquanto indecisos somam 7%.
TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
No levantamento anterior, Ciro tinha 10%; Marina, 16%; Alckmin, 9%; Dias e Haddad, 4% cada; Amoêdo e Meirelles, 2% cada; Vera, Daciolo, Boulos, Goulart Filho, 1% cada; e Eymael não havia pontuado. Brancos e nulos eram 22% e indecisos, 6%.

Postulante cuja intenção de voto mais cresceu, 5 pontos percentuais, Fernando Haddad tem o desempenho atrelado à decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de negar o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao início do horário eleitoral no rádio e na TV aberta, em que seu nome, apresentado como “vice”, é apoiado por Lula.

A coligação do PT tem até esta terça-feira, 11, para substituir o ex-presidente como candidato e deve indicar o ex-prefeito de São Paulo à cabeça da chapa, motivo pelo qual o Datafolha incluiu seu nome entre os presidenciáveis.

A pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira ouviu hoje 2.820 eleitores nos 26 estados e no Distrito Federal. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número de identificação BR-02376/2018.

Rejeição

O Datafolha também mostra um crescimento na rejeição a Jair Bolsonaro depois do atentado sofrido por ele. Em agosto, declararam que não votariam de jeito nenhum no candidato do PSL 39% dos eleitores, número que foi a 43%.

A rejeição a Geraldo Alckmin passou de 26% para 24%; a de Marina Silva, de 25% para 29%; a de Ciro Gomes, de 23% para 20%; a de Henrique Meirelles, de 21% para 17%; a de Fernando Haddad, de 21% para 22%.

Entre os candidatos “nanicos”, 19% do eleitorado respondeu que não votaria em Cabo Daciolo; 19% em Vera; 18% em Eymael; 17% em Boulos; 15% em João Goulart Filho; 15% em João Amoêdo e 14% em Alvaro Dias.

Disseram rejeitar todos os candidatos, ou que não votariam em nenhum deles, 5% dos eleitores; votariam em qualquer um, ou não rejeitam nenhum, 2%. Não souberam responder, 6%.

A porcentagem total correspondente à rejeição ultrapassa 100% porque os eleitores podem indicar mais de um candidato em quem não votariam.

Fonte: Diário do Nordeste


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria

Enquete
Na sua opinião, qual deputado com raízes no Cariri está se saindo melhor?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor