Segunda-feira
15 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Prisão em Juazeiro

Dono de locadora de veículos é preso em Juazeiro sob acusação de assaltos no Maranhão

Por Demontier Tenório
Em 11/10/2018 às 08:00
Compartilhar
Fábio foi preso na tarde de ontem em Juazeiro (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Policiais militares de Juazeiro do Norte prenderam o dono de uma locadora de veículos Raimundo Fábio Garcia de Oliveira, de 36 anos, por volta das 17 horas desta quarta-feira. Contra o mesmo existe um Mandado de Prisão expedido em maio de 2018 pela 4ª Vara Criminal da Comarca de São Luiz (MA), onde Fábio foi condenado a sete anos e nove meses de prisão por assalto. Inclusive, ao fugir da delegacia maranhense, teria levado consigo armas de dois policiais civis.

Nos autos do processo, e por meio do seu advogado José Duarte Pereira, negou envolvimento nos crimes atribuídos ao mesmo alegando falta de provas. Ele já tinha sido preso em Várzea Alegre no dia 19 de abril de 2012 e apontador como mentor de uma quadrilha que vinha furtando motocicletas da Concessionária Araripe Veículos que funciona na Avenida Padre Cícero em Juazeiro. Na época, os policiais recuperaram oito motos e prenderam Fábio e mais cinco pessoas na operação em Várzea Alegre.

Os veículos eram furtados por funcionários da empresa e vendidos ao receptador Fábio Garcia e, naquela cidade, foram presos ainda os irmãos Cicero Luiz de Sousa, o “Neguim da Coelce”, e Francisco Luiz de Sousa Filho. Os funcionários da empresa trabalhavam como recepcionista, mecânico e lavador no caso Rosivaldo Araújo Rodrigues, Valderlanio de Lima Santos e Cícero Robério Leite Cordeiro. Segundo a polícia, estes furtavam as motos ainda no depósito.

O passo seguinte era comercializar por um preço bem abaixo do mercado tendo como comprador Fábio acusado ainda de envolvimento no furto a uma casa lotérica de Várzea Alegre e o roubo de uma moto em agosto de 2012. Motos com preços entre cinco e oito mil reais eram vendidos por algo em torno de R$ 1,5 mil, principalmente a produtores rurais. Os envolvidos respondem por crimes de formação de quadrilha, furtos e receptação.

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira