Ceará
Meteorologia
El Niño deve trazer irregularidade de chuva no Ceará em 2019
Em 05/12/2018 às 11:40

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o próximo fenômeno deve ser "fraco", com características oceânicas diferentes das registradas nos últimos anos. (Foto: Reprodução)

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Compartilhar

Com 99% de chances de ocorrer no primeiro mês do ano de 2019, o "El Niño" deve ocasionar um período de irregularidades na quadra chuvosa no Ceará, segundo o coordenador-Geral de Meteorologia do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Expedito Rebello. "Tem que aproveitar para armazenar água nos meses chuvosos", destaca.

O coordenador explica que as águas do Oceano Pacífico Equatorial já estão aquecidas e assim devem permanecer em janeiro, mas o período não necessariamente deve ser de "seca" no Nordeste. A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) explicou em setembro último, que das últimas 15 ocasiões de El Niño, 11 geraram impactos de seca.

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Os efeitos devem ser "chuvosos" no Sul do país, e "chuvoso" do Sul da Bahia, Sudeste e parte do Centro-Oeste, segundo a Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), na sigla internacional). O estado atual é de "Alerta", para o Serviço Nacional da Austrália. O próximo status é de confirmação do fenômeno, seguindo a escala desenvolvida pelo Serviço.

"É uma questão de tempo para os órgãos oficiais de meteorologia como a NOAA e o Serviço Australiano decretarem o início do acoplamento Oceano-Atmosfera. É irreversível. Vai acontecer", reforça Expedito. O coordenador destaca ainda que o próximo evento será "fraco".
TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
"O aquecimento está maior na área central do Oceano Pacífico e não na costa do Peru e do Equador. Nesse caso, o Nordeste poderá até se beneficiar", complementa. "As águas estão muito quentes na superfície e no fundo do Oceano Pacífico Equatorial até 300 metros de profundidade".

O El Niño vai ter seu maior impacto possivelmente no trimestre março-maio de 2019, onde suas características naturais vão aparecer com mais atividade. Em setembro, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) informou que o Ceará tinha 67% de chance de retorno do "El Niño" ainda em 2018.

A Funceme declarou ainda, à época, que o fenômeno iria representar uma possível quadra chuvosa "abaixo da média" para o próximo ano. O Centro de Previsão Climática do NOAA, dos Estados Unidos, avaliou que a chance de ocorrência do fenômeno entre o fim de 2018 e o começo do próximo ano é de 70%.

Alternativas

Para o secretário adjunto da Secretaria de Recursos Hídricos do Estado do Ceará (SRH), Ramon Rodrigues, as medidas pensadas para o período devem assegurar água para todo o ano que vem. "Se temos água no segundo semestre de 2018, é devido a nossas ações". O secretário reforça a busca da Pasta por fontes alternativas de abastecimento nos últimos oito anos, desde quando a estiagem no Estado vem preocupando, como estratégias de perfuração de poços e a atuação no Reservatório que abastece Itapipoca. "Começamos também a explorar o aquífero litorâneo das Dunas. A cidade de Natal, por exemplo, consegue se abastecer em boa parte por Dunas. Estamos ampliando essa metodologia para o Porto do Pecém e Taíba, para assim trazer essa água para a RMF", completa.

Fonte: Diário do Nordeste

Publicidade
Compartilhar

Mais do Site Miséria

Enquete
Como você costuma comemorar o São João?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor