Cariri
Várzea Alegra
Na Câmara de Vereadores, Zé Helder esclarece situação do matadouro público
Compartilhar

Prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, esclarece situação do matadouro público na Câmara de Vereadores (Foto: Augusto César)

Em 05/12/2018 às 15:45
Publicidade

O prefeito de Várzea Alegre, na Câmara de Vereadores, na noite desta terça-feira, 04, deu explicações sobre a construção do matadouro público. A presença do prefeito na Câmara veio depois de críticas dos parlamentares da oposição.

A vereadora Professora Dedê (PC do B), da oposição havia solicitado explicações sobre a obra. O prefeito deu esclarecimento sobre questões financeiras, andamento da obra, processo burocrático, e que deixou para falar do assunto quanto tivesse um norte, que só clareou agora.

Publicidade


Há uma nova previsão. Para Zé Helder, o matadouro poderá ser aberto em agosto de 2019, devendo funcionar de forma terceirizada, pelo SIM - Sistema de Inspeção Municipal, e depois com inspeção do Estado abrindo para o abate de animais regionalmente, vez que muitos municípios próximos estão sem matadouro.

Zé Helder destacou que o grande problema do matadouro, que inclusive foi motivo de fechamento do antigo equipamento que existia na cidade, por denúncia, é a estação de tratamento. Agora, a estação de tratamento está praticamente pronta.

Publicidade


Na reunião de hoje, para falar sobre questões técnicas do matadouro, esteve presente na sessão de Augusto Junior - Agrônomo e Zootecnista. Ele deu detalhes da planta instalada do equipamento e de como se dará a sua operação.

Os vereadores da oposição, agradeceram a presença do prefeito Zé Helder que, segundo eles, foi esclarecedor com relação à situação do equipamento.

A obra do matadouro público se arrasta desde 2010. Zé Helder disse que em 2012, quando saiu do governo, deixou 75% da obra pronta. No governo do sucessor, Vanderlei Freire, embora os esforços da gestão, a obra não andou. Na volta ao governo para o terceiro mandato, o prefeito retomou a obra e havia expectativa de abrir o equipamento de forma ágil, mas teve vários outros problemas de ordem burocrática que envolvia a planta, o projeto e novas exigências sanitárias.

Assessoria de Comunicação


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria
Publicidade

Enquete
Você é a favor de leis mais rígidas sobre conservação do patrimônio histórico municipal?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor