Quarta-feira
17 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 17 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Idra Novey

Escritora americana se inspira em Lispector para escrever romance

Em 12/01/2018 às 10:35
Compartilhar
´A arte de desaparecer´ (Editora 34, 272 páginas, R$ 55) foi lançado durante a passagem da escritora pelo Brasil, em dezembro passado (Foto: Reprodução/Notícias ao Minuto)

A escritora Idra Novey foi arrebatada por Clarice Lispector, desde a primeira vez que leu A paixão segundo G.H., o assombroso romance sobre uma mulher e uma barata. Depois disso, a norte-americana, natural de uma pequena cidade no oeste da Pensilvânia, quis aprender português para ler o livro em sua língua original.

Havia uma franqueza brava naquele livro, uma fome filosófica. Eu quis aprender português para ler Clarice no original”, disse.

Em entrevista concedida à revista ´Época´, Novey contou que seu novo romance, intitulado ´A arte de desaparecer´ (Editora 34, 272 páginas, R$ 55), seu romance de estreia, traduzido por Roberto Taddei e lançado durante sua passagem pelo Brasil em dezembro passado, tem como inspiração Clarice Lispector.

O romance começa com uma imagem poética e bizarra: uma escritora roliça e grisalha, com uma mala e um charuto, trepa nos galhos de uma amendoeira num parque de Copacabana. A mulher é Beatriz Yagoda, uma esfíngica escritora brasileira de ascendência judaica, nascida na África do Sul.

Para quem sabe minimamente da biografia de Clarice, não há o que dizer. Clarice é inspiração e ´A arte de desaparecer´ é mérito de uma poeta. A estrutura é fragmentada: os capítulos são curtos e intercalados por poemas, e-mails, boletins radiofônicos que informam sobre o sumiço da personagem principal.

NoticiasaoMinuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira