Segunda-feira
24 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Rede social

Twitter anuncia "faxina" e usuários terão perda de seguidores

Em 11/07/2018 às 14:15
Compartilhar
A estimativa da plataforma é que, em média, cada pessoa perca até quatro seguidores (Foto: Kacper Pempel/Reuters)

Nesta quarta (11), o Twitter anunciou que mudar a forma de contar a quantidade de seguidores de um perfil. A rede social vai remover contas de usuário bloqueadas da contagem. Com isso, muitos vão observar seu número de seguidores cair nos próximos dias.

“Ao longo dos anos, nós travamos contas nas quais detectamos mudanças abruptas de comportamento. Nessa situações, contatamos os donos das contas e, ao menos que eles validem a conta e redefinam suas senhas, os mantemos bloqueados, sem habilidade de fazer log in”, explicou o Twitter em seu blog.

Na maior parte dos casos, os perfis bloqueados não são robôs de spam, e sim de usuários criados por pessoas reais que possam ter perdido o controle da conta para algum agente malicioso e passam a apresentar comportamento muito diferente do usual. Entre essas condutas estão: postar um grande volume de mensagens em resposta a outros usuários, publicar links enganosos ou ser bloqueado por muita gente em pouco tempo. Usuários com conta travada não conseguem tuitar nem ver anúncios.

O objetivo da medida, segundo a rede social, é garantir que os números da rede social sejam confiáveis e precisos: “Acreditamos que a transparência faz do Twitter um serviço mais confiável”, afirma a empresa, em nota.

A estimativa da plataforma é que, em média, cada pessoa perca até quatro seguidores, mas contas maiores terão mais perdas.
70 milhões a menos

Nesta sexta, o Washington Post afirmou, em reportagem, que o Twitter apagou 70 milhões de contas suspeitas ou falsas entre maio e junho.

Com as investigações de influência russa por meio da internet na eleição, as discussões sobre fake news, robôs e números inflados nas redes sociais ganharam força. Sob pressão de usuários, entidades governamentais e anunciantes, o Twitter e o Facebook têm anunciado medidas para combater o problema. 

 

Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira