Terça-feira
18 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Terça-feira, 18 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segurança

Erro no WhatsApp pode ser usado para espalhar mensagens falsas

Em 13/08/2018 às 07:45
Compartilhar
Em nota, o mensageiro explica que a falha não afeta a criptografia do app, ou seja, a confidencialidade das mensagens continua protegida (Foto: Reprodução/ Notícias ao Minuto)

Uma falha no WhatsApp afeta o recurso "responder" do app, permitindo que uma mensagem seja editada quando ela for incluída como citação em outra mensagem de resposta. O conteúdo original, no entanto, permanece inalterado. O erro foi descoberto pela empresa de segurança Check Point.

O WhatsApp não corrigiu o erro até o momento. A Check Point explica que a falha só vai ser mitigada com a modificação de aspectos estruturais do mensageiro.

Segundo o blog do jornalista Altieres Rohr, no ´G1´, interpretações equivocadas do problema chegaram a afirmar que ele permite "ler" ou "adulterar" mensagens de outras pessoas, o que não é verdade.

Em nota, o WhatsApp explicou que o erro não afeta a criptografia do app, ou seja, a confidencialidade das mensagens continua protegida.

A Check Point alerta para o risco da vulnerabilidade contribuir para a disseminação de conteúdos falsos por usuários mal-intencionados, que podem modificar mensagens de terceiros.

Outro aspecto da mesma falha permite que uma mensagem seja enviada a uma pessoa de forma individual, mas "marcada", nos bastidores, como uma mensagem de grupo. O resultado disso é que uma mensagem pode aparecer na janela de um grupo mesmo quando ela foi enviada para uma só pessoa. Se a vítima responder a essa mensagem, a resposta vai para o grupo. O grupo, porém, não vai ter visto a mensagem original, que foi enviada somente para a vítima.

NoticiasaoMinuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira