Economia e Negócios
Investimento
BNDES lançará edital de R$ 25 milhões para evitar incêndios em museus
Compartilhar

O presidente do banco, Dyogo Oliveira, disse que o edital deve ser publicado até o fim deste mês (Foto: Reprodução/ Notícias ao Minuto)

Em 04/09/2018 às 14:45
Publicidade

Após o maior desastre que já atingiu o patrimônio científico e histórico do Brasil, o governo anunciou nesta terça-feira (4) que o BNDES lançará edital com valor de R$ 25 milhões destinados a projetos de segurança e melhoria de instalações de museus e instituições que tenham acervo.

O presidente do banco, Dyogo Oliveira, disse que o edital deve ser publicado até o fim deste mês e que valerá tanto para a elaboração de projetos executivos de segurança e melhoria de instalações quanto para a implantação efetiva dessas mudanças. De acordo com o governo, instituições públicas e privadas poderão inscrever projetos.

Publicidade


Como está no âmbito da Lei Rouanet, esse valor representa uma doação -e não um empréstimo- do BNDES. Criada no início da década de 1990, a lei dá incentivos fiscais para o incentivo à cultura.

A decisão foi anunciada após a primeira reunião do presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, para discutir a situação do Museu Nacional, destruído pelo incêndio no Rio.

Publicidade


O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) informou que o governo enviará uma medida provisória ao Congresso Nacional para prever a criação dos chamados fundos patrimoniais. A ideia é criar um fundo para o Museu Nacional e facilitar a doação de recursos públicos e privados, segundo o governo. O recurso doado deve ser aplicado e todo o rendimento poderá ser usado pela instituição.

O texto dessa medida provisória, segundo Padilha, será fechado pelo comitê criado para coordenar o processo de recuperação do museu, composto pela Casa Civil, Educação, Cultura e Relações Exteriores.

"Teremos reuniões já na próxima quinta-feira (6) e um dos temas será a redação dessa medida provisória que vai incentivar a doação privada", disse Padilha.

Os representantes do governo escalados para dar declarações após a reunião fizeram questão de dizer que a UFRJ, ao qual o museu é vinculado, tem autonomia para distribuir o orçamento destinado a ela. Antes mesmo de anunciar medidas, Padilha disse que, de 2012 a 2017, o orçamento da universidade cresceu, mas a dotação que a universidade fez ao museu caiu.

"A universidade tem autonomia orçamentária e financeira, ela distribui o seu orçamento. É muito importante que a gente traga ao conhecimento de todos o orçamento", disse Padilha, após a série de críticas que o governo enfrenta pelo corte de gastos.

Participaram da reunião os ministros Rossieli Soares (Educação), Sérgio Sá Leitão (Cultura), Esteves Colnago (Planejamento) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional).

Também estiveram presentes a presidente do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Kátia Bogéa, e os presidentes do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, e da Caixa, Nelson Antônio de Souza.

O fogo no Museu Nacional começou por volta das 19h30 de domingo (2), depois que a visitação estava encerrada. Os bombeiros controlaram o incêndio após seis horas, por volta das 2h de segunda (3). Parte do interior do edifício desabou. A Polícia Federal investiga a causa do incêndio.

NoticiasaoMinuto


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria
Publicidade
Por Felipe Azevedo
Por Felipe Azevedo
Venta forte em Brasília!
Em Política

Enquete
Você anda usa telefone fixo em casa?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor