Sábado
17 de Novembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Pesquisa

79% dos eleitores foram impactados por propaganda na TV, mostra XP/Ipespe

Em 07/09/2018 às 16:00
Compartilhar
Fernando Haddad, candidato a vice na chapa do PT e provável substituto de Lula como postulante à Presidência, tem protagonizado a propaganda da legenda na televisão (Foto: Reprodução/YouTube)

A primeira pesquisa do instituto XP/Ipespe realizada após o início do horário eleitoral mostrou que nada menos que quatro a cada cinco eleitores, 79% do total, disseram ter sido impactados pela propaganda na televisão. É o maior índice entre as mídias apresentadas aos questionados pelo estudo, realizado com 2.000 pessoas entre os dias 3 e 5 de setembro.

Depois da TV, aparece a resposta “internet e mídias sociais”, onde 53% dizem ter visto anúncios de candidatos. No rádio, onde também há programação obrigatória reproduzida pelas emissoras, foram 31% e, no WhatsApp, apenas 27%.



O alto índice apresentado pela televisão reflete, entre outras coisas, uma mudança na legislação: o tempo do bloco do horário eleitoral foi reduzido de 50 para 25 minutos, mas as inserções mais que dobraram, passando de 30 pora 70 minutos diários. Com isso, a propaganda política na TV ficou menos concentrada e mais constante.

O levantamento também trouxe uma pesquisa sobre a intenção de voto dos candidatos a presidente. A pesquisa foi feita antes da facada no candidato Jair Bolsonaro, do PSL, ocorrida nesta quinta-feira 6 em Juiz de Fora (MG). Bolsonaro lidera nos cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que teve a candidatura rejeitada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa.

O presidenciável do PSL aparece com 23% das intenções de voto, seguido por Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) com 11%, Geraldo Alckmin (PSDB) com 9%, Fernando Haddad (PT) com 8%, João Amoêdo (Novo) e Alvaro Dias (Podemos) com 4%. Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (PSOL) e Cabo Daciolo (Patriota) aparacem com 1%. Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e José Maria Eymael (DC) não pontuaram. Brancos, nulos e indecisos somam 27%.

Nenhum candidato oscilou para além da margem de erro, de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa mostra que, numericamente, cresceram as menções a Haddad (que antes tinha 6%) e Ciro (quer aparecia com 10%) e caíram as citações a Marina (que tinha 13%).

No cenário em que o ex-prefeito de São Paulo é apresentado como candidato “apoiado por Lula”, ele é o segundo colocado da pesquisa, com 14%. Bolsonaro (PSL), 20%, Ciro (PDT), 10%, Marina (Rede), 8%, Alckmin (PSDB), 8%, Amoêdo (Novo), 4%, Alvaro Dias (Podemos), 4%, Meirelles (MDB), 2%, Daciolo (Patriota), 1%. Boulos (PSOL), Vera (PSTU), Goulart (PPL) e Eymael (DC) não pontuam. Brancos, nulos e indecisos são 28%.

Lula

Em um terceiro cenário, na eventualidade de o ex-presidente Lula obter uma decisão judicial que lhe permita disputar a eleição, o ex-presidente apareceria com 33% das intenções de voto, contra 22% de Bolsonaro, 8% de Ciro, 7% de Alckmin, 6% de Marina, 5% de Amoêdo e 3% de Alvaro Dias. Meirelles, Boulos e Daciolo teriam 1%. Eymael, Vera e Goulart não pontuariam. Brancos, nulos e indecisos seriam 12%.

A pesquisa do instituto Ipespe a pedido da XP foi realizada entre os dias 3 e 5 de setembro, com 2.000 eleitores. A margem de erro é de 2,2 pontos, para mais ou para menos, e o índice de confiança é de 95,5%. A pesquisa foi registrada no TSE sob a identificação BR-00339/2018.

Fonte: Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira