Nordeste
Pernambuco
Jornalista Graça Araújo morre aos 62 anos no Recife
Em 08/09/2018 às 16:15

Graça Araújo faleceu neste sábado (8), aos 62 anos (Foto: Reprodução/TV Globo)

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Compartilhar

Morreu, neste sábado (8), aos 62 anos, a jornalista pernambucana Graça Araújo. A apresentadora sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico na quinta-feira (6) e, neste sábado, teve falência múltipla nos órgãos. A informação foi confirmada pelo Hospital Esperança, unidade de saúde em que ela estava internada.

A morte ocorreu às 12h55, de acordo com a direção médica do hospital. Segundo a neurologista Silvia Laurentino, Graça estava em coma profundo e estava sendo monitorada para uma possível doação de órgãos, desejo sinalizado pela família. "Estávamos monitorando para entrar em contato com a central de transplantes e estava tudo ok", relata.

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
No entanto, o funcionamento irregular dos órgãos foi notado pouco antes das 13h. "O coração começou a bater muito fraquinho e a pressão caiu subitamente. Nessas condições não houve tempo de fazer o contato para todo preparo para doação [de órgãos]", disse a médica.

O velório está marcado para começar às 19h deste sábado (8), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife. A cremação acontece às 16h do domingo (9).
TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Internação

Graça Araújo fazia exercícios físicos em uma academia na Zona Sul do Recife, na noite da quinta (6), quando passou mal e foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Na noite em que foi internada, o estado de saúde dela era considerado grave pelos médicos. Na quinta, o hospital informou que o quadro clínico da paciente passou para gravíssimo.

Neste sábado (8), o hospital informou, pouco depois das 11h, que o quadro clínico da paciente se mantinha inalterado e ela continuava respirando com a ajuda de aparelhos.

Perfil

Nascida em 2 de abril de 1956 em Itambé, na Zona da Mata de Pernambuco, Maria Gracilane Araújo da Silva seguiu para São Paulo ainda criança. Começou a trabalhar aos 14 anos e, antes de chegar ao jornalismo, sonhava em ser médica e, para ajudar a pagar as despesas de casa, foi auxiliar de embalagem de enxovais de bebê, funcionária de uma indústria e balconista.

Ao trabalhar numa editora de uma revista de construção, desenvolveu interesse pelo ofício de comunicar. Formou-se em jornalismo em 1983, pela Universidade Alcântara Machado de São Paulo, Graça Araújo seguiu para Recife no mesmo ano.

Antes de trabalhar na TV, passou pelas rádios Transamérica e Clube. Na TV Globo, esteve durante um mês na apresentação do programa "TV Mulher". Graça também trabalhou na extinta TV Manchete.

Em 1992 estreou como apresentadora do programa "TV Jornal Meio-Dia", na TV Jornal, do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação. Em entrevista à TV Globo em 2015, ela contou detalhes sobre como iniciou a jornada de 24 anos, até então, à frente do programa.

"Por alguma razão, ele [José Mário Austregésilo] olhou para mim e enxergou que eu servia para um projeto novo de telejornal que ele estava trazendo para o Recife. A partir daí, eu fui para a TV, estudei o modelo e estou fazendo o que ele queria", contou, na época.

Em 1999, recebeu o título de Jornalista Amiga da Criança da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi). Em 2010, Graça ganhou o título de cidadã do Recife na Câmara dos Vereadores.

Em 13 de agosto de 2018, ela recebeu a medalha de honra ao mérito Desembargador Joaquim Nunes Machado, do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A condecoração é dada às personalidades que tem relevantes serviços prestados no campo jurídico.

Repercussão

Através das redes sociais, o TJPE lamentou o falecimento da comunicadora e ressaltou o legado profissional. "Muito obrigado por tudo, Graça! Descanse, pois o seu trabalho foi cumprido; o seu legado é inesquecível; e o seu exemplo sempre será inspiração para todos nós", diz o texto.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, também lamentou a perda. "Graça Araújo sempre fez um jornalismo responsável e em defesa da população, dos mais necessitados, se tornando uma referência para a imprensa local e nacional", disse, em nota.

Em Jaboatão dos Guararapes, o prefeito Anderson Ferreira também prestou homenagens à comunicadora por meio de nota. "O jornalismo de Pernambuco perde uma grande referência. Nossos sentimentos a familiares e amigos", escreveu.

O prefeito de Olinda, Professor Lupércio, também se solidarizou com familiares e amigos da comunicadora. "O ocorrido é uma grande perda para o jornalismo e para toda sociedade. Negra e nordestina, Graça Araújo quebrou barreiras e venceu preconceitos com sua competência. É com pesar que nos despedimos desta profissional e nos solidarizamos com amigos e parentes", destacou.

O ex secretário de Turismo de Olinda, Gilberto Sobral, esteve no hospital e também ressaltou o trabalho de Graça e os cuidados que ela tinha com a própria saúde. "Uma pessoa de uma generosidade tremenda. Uma pessoa ativa fisicamente, maratonista, que regrava bem a saúde, sua atividade física, mas é quando Deus quer", afirma.

Fonte: G1 PE

Publicidade
Compartilhar

Mais do Site Miséria

Enquete
Você se sente seguro em sala de aula?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor