Terça-feira
25 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Terça-feira, 25 de Setembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Assista ao vídeo

É uma vergonha a Transnordestina estar parada, diz Camilo Santana em Cedro

Por Felipe Azevedo/Agência Miséria
Em 10/09/2018 às 12:00
Compartilhar
Camilo participou de ato de campanha neste domingo, 9 (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Durante discurso de campanha em Cedro, região Centro-Sul do Ceará, distante 75 km de Juazeiro do Norte, Camilo Santana disse ser "uma vergonha" que as obras da Ferrovia Transnordestina ainda não estejam concluídas.

Candidato a reeleição ao governo do estado, o petista se dirigiu ao prefeito Dr. Nilson Diniz (PDT), deputados, senadores e demais políticos no palanque, e falou em união para conclusão da obra atrasada há 10 anos. "Nós tínhamos mais de 3 mil pessoas trabalhando", destacou.

"É uma vergonha esta obra estar parada", complementou, e reforçou uma "união de forças" para tocar o projeto caso seja reeleito.

Com gasto acima de R$ 6 bilhões, a ferrovia está atrasada há mais de dez anos (Foto: Reprodução)


Transnordestina

Com gasto acima de R$ 6 bilhões, a ferrovia está atrasada há mais de dez anos. Acredita-se que serão gastos mais R$ 7 bilhões para que seja concluída, mas o governo federal ainda não sabe onde captar todo o recurso.

O projeto prevê que os trilhos saiam da cidade de Eliseu Martins, no Piauí, até Salgueiro, em Pernambuco, com uma divisão em direção aos portos do Pecém e Suape.

No Cariri, a ferrovia passa por Missão Velha, Jardim, Penaforte, Porteiras, Brejo Santo, Aurora e Lavras da Mangabeira. De acordo com o Painel de Obras do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, o investimento no trecho que vai até o litoral oeste é de R$ 145 milhões.

Veja o vídeo:

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira