Política
Assista ao vídeo
"Se boato ocorreu, é do governo", diz capitão Wagner sobre recuo em cortes no MEC
Por:
Repórter João Boaventura Neto
Em 15/05/2019 às 08:15

Capitão Wagner na Tribuna da Câmara dos deputados (Foto: Reprodução)

Compartilhar

O líder do PROS, deputado cearense Capitão Wagner, usou a Tribuna da Câmara Federal e afirmou ter presenciado o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ligar para o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e determinar o recuo nos cortes da Educação. Assista ao vídeo no final da matéria.

"Se boato ocorreu e se o boato é barato, o boato é do governo. Não vou admitir, sendo aliado do governo, ser chamado lá no Palácio do Planalto para tratar uma questão séria como essa, presenciar o presidente da República pegar um celular, ligar para o ministro na presença de vários líderes partidários e, com todas as letras, o presidente disse ´a partir de agora o corte está suspenso´. Se o governo não sustenta o que o presidente falou na frente de 12 líderes parlamentares não sou eu que vou estar por mentiroso perante a nação", afirmou Wagner, revoltado, na Câmara.

"Como estava o líder do governo na Câmara, o líder do partido do presidente e vem a líder do governo no Congresso e diz que é boato? De quem é o boato? Quem criou o boato foi o governo, que voltou atrás e voltou atrás de novo. Recuou duas vezes. Não admito ser chamado de mentiroso”, reclamou em outro o parlamentar em outro trecho da fala.

Wagner disse ainda esperar que os deputados que estavam na reunião possam indagar o ministro da Educação se ele recebeu ligação do presidente. De acordo com ele, ou o ministro está mentindo, ou o presidente não ligou para ele. “Será que o presidente forjou a ligação na nossa frente? Tenho certeza que não. Então, que o governo possa se pronunciar e ter peito para dizer ´estou cortando mesmo e pronto´ ”, ponderou.

Wagner disse ainda que deseja ajudar o governo, mas que as confusões entre apoiadores de Bolsonaro levaram a uma crise de falta de comando no País.

Entenda

A informação foi dada pelos líderes do PSL, Delegado Waldir (GO), do Novo, Marcel Van Hattem (RS), do Podemos, José Nelto (GO), e do Cidadania, Daniel Coelho (PE). "O presidente falou que não haverá contingenciamento na pasta da Educação", disse Diego Garcia (Podemos-PR), que participou da reunião.

Estavam presentes ainda parlamentares de PV, PSC e Patriota. A reunião ocorreu às 18h, logo após a Câmara aprovar a convocação de Weintraub.

Após deputados narrarem a ordem de recuo no MEC, a Casa Civil desmentiu em nota: "Não procede a informação de que haverá cancelamento do contingenciamento no MEC. O governo está controlando as contas públicas de maneira responsável".

Compartilhar

Mais do Site Miséria

Enquete
Você já tentou subornar guardas de trânsito durante blitz?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor