Comerciantes fazem carreata pedindo a reabertura do comércio de Juazeiro do Norte - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Comerciantes fazem carreata pedindo a reabertura do comércio de Juazeiro do Norte
Além de comerciantes e profissionais liberais, tinham advogados, funcionários públicos, industriários, autônomos e profissionais da saúde
João Boaventura Neto
Comerciantes fazem carreata pedindo a reabertura do comércio de Juazeiro do Norte (Foto: Bebeto Vieira)

Comerciantes e profissionais liberais que dependem do comércio funcionando realizaram uma carreata em Juazeiro do Norte na tarde desta quarta-feira, dia 22. O grupo, de aproximadamente 100 veículos, entre automóveis e motocicletas pedindo que o comércio abra na Terra de Padre Cícero.

Romulo Bezerra, gestor de marcas, participou da manifestação e conversou com a reportagem do site Miséria. De acordo com ele, além de comerciantes e profissionais liberais, tinham advogados, funcionários públicos, industriários, autônomos e profissionais da saúde.

“O que me motivou apoiar o manifesto, através de uma carreata evitando aglomerações junto de vários outros profissionais que dependem do comércio, indústria e profissionais liberais, foi retornar as atividades econômicas da região para tentar garantir o sustento de muitos trabalhadores como eu que depende do comércio para sobreviver. Além de tentar fazer diminuir o impacto econômico de nossa região evitando desempregos em massa e descontinuidade de empresas”, afirma.

Perguntado se não tem receio de que voltando a abrir o comércio pode ser arriscado o contagio para todos por conta do Covid-19, Romulo respondeu:

“Quanto ao receio de contaminação neste retorno, nossa manifestação foi para cobrar um posicionamento das associações comerciais, CDL, prefeitura Municipal e governo do estado através da secretaria de saúde afim de juntos buscarem meios para que de forma planejada o comércio e a indústria retornem de forma moderado e preventiva das atividades. Controle de pessoas para adentrarem nas dependência das lojas, fornecer máscaras para aqueles clientes que não dispõe, fornecer álcool gel em pontos estratégicos da loja, distâncias mínimas de aproximação física entre as pessoas entres outras medidas que podem diminuir as possibilidades para o contágio. Quanto aos órgãos fiscalizadores da prefeitura fazer campanhas educativas de comportamento e até criar uma autuação financeira para aqueles que não obedecerem estas regras, mas não é da ossada dos manifestantes dessa carreata criar meios seguras para o retorno e sim, cobrar reação e posicionamento para não haver um desastre econômico na região, a ponta do iceberg já pode ser vista”.

Ele destaca ainda que ficou definido que as pessoas não desceriam dos veículos para evitar aglomeração e possíveis contágios. Em cada veículo com no máximo quatro pessoas e elas utilizando máscaras de proteção.

O itinerário da carreata iniciou no Vapt Vupt, depois pelas ruas Padre Cicero, Santa Luzia, São Paulo, Rui Barbosa, São Pedro, Santa Luzia, São Jorge, Seminário, São Domingos; avenidas Carlos Cruz e Aílton Gomes; novamente Rui Barbosa, Limoeiro e por fim Avenida Castelo Branco e Rua São Benedito.

No final da entrevista, em nome de todos os manifestantes, Romulo escreveu que “Os manifestantes desta carreata agradecem a postura da polícia militar e Demutran pela forma pacífica de conduzir a segurança desta carreata composto por pessoas idôneas que somente estão cobrando o retorno do setor econômico da região através de um movimento pacífico, responsável e sério”.

Assista ao vídeo e veja a galeria de fotos

Galeria de fotos

Comerciantes fazem carreata pedindo a reabertura do comércio no município

                                                                                      Entrevista realizada via WhatApp

Compartilhar
Loading spinner
Avalie esta notícia
Comentar
*Publicidade