PSB nacional sonha com Camilo para a disputa à presidência em 2022 - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
e-Política

Madson Vagner

Jornalista e escritor. Madson Vagner atua como diretor de jornalismo e comentarista da Rádio 100 FM e colunista político do Jornal do Cariri. É correspondente colaborador dos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo do Rio. Faz parte dos quadros de autores da Editora Novo Século.

e-Politica

Madson Vagner

Jornalista e escritor. Madson Vagner atua como diretor de jornalismo e comentarista da Rádio 100 FM e colunista político do Jornal do Cariri. É correspondente colaborador dos jornais O Estado de S. Paulo e O Globo do Rio. Faz parte dos quadros de autores da Editora Novo Século.

PSB nacional sonha com Camilo para a disputa à presidência em 2022

Camilo é quase unanimidade na bancada federal do PSB com apoio do governador de Pernambuco, Paulo Câmara. É tratado como um promissor candidato à presidência em 2022.

A crise do coronavírus no Brasil tem antecipado a corrida ao Planalto. No meio de muitos destaques, o governador cearense Camilo Santana tem encontrado um lugar ao sol. Além de alas petistas, Camilo está na mira do PSB. O partido, que está sob seu comando no Ceará, também se rende ao seu desempenho no combate ao coronavírus.

Hoje, Camilo é quase unanimidade na bancada federal do partido e encontra no governador de Pernambuco, Paulo Câmara, um grande aliado. Camilo é tratado como um promissor candidato à presidência em 2022. Seria uma opção à polarização a Bolsonaro versus PT.

Sem pressa, Camilo joga parado cuidando da saúde do povo cearense. Dentro do seu estilo silencioso, o governador Camilo fez um planejamento estratégico para viabilizar uma eventual candidatura presidencial, sem entrar em conflitos abertos com o PT, e não colidir com o, também, presidenciável Ciro Gomes.

Camilo trabalha na articulação do PSB no Ceará e não comenta nada agora sobre uma possível saída do PT. Tem tempo de sobra para mudar. Certo é que depois da eleição deste ano – ainda não foi adiada – o PSB será a casa das lideranças ligadas a Camilo.

Assim, quando questionado por seus aliados mais próximos no Estado, sobre uma candidatura ao Planalto, daqui a dois anos, para se contrapor a um novo mandato do presidente Bolsonaro, Camilo responde de modo sincero e honesto: que “o amanhã só a Deus pertence”.

(Com informações da Coluna Rebate, Jornal do Cariri).

Compartilhar:
Comentar:
Publicidade
Governo do Estado
Publicidade