Com 200 infectados, 10 mortos e barreiras ineficientes, Juazeiro quer reabrir comércio - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Com 200 infectados, 10 mortos e barreiras ineficientes, Juazeiro quer reabrir comércio
Entre os dias 8 e 15 de maio, aumento foi de 85% nos casos. Na semana seguinte, a alta foi de 170%, saindo de 54 para 146 confirmações.
Felipe Azevedo
Foto: Normando Sóracles/Agência Miséria

Com mais de 200 casos confirmados e 10 óbitos, Juazeiro do Norte se prepara para reabrir gradualmente o comércio. A primeira reunião para tratar do assunto aconteceu na manhã de ontem (27), entre o prefeito, secretários e representantes de setores econômicos da cidade. A prefeitura aguarda um posicionamento do Governo do Estado.

Camilo Santana (PT), no entanto, já adiantou o que divulga o plano de reabertura ainda nesta semana. O decreto que determina o isolamento social no Ceará tem validade até o próximo dia 31.

A gestão de Juazeiro justifica que todas as ações de reabertura estarão pautadas “nas orientações científicas”. Em nota, a assessoria argumentou que os secretários de Saúde e Inovação, durante a reunião, “expuseram orientações a serem trabalhadas, mediante conhecimento técnico […] por diversos segmentos produtivos”. Os detalhes do plano não foram divulgados.

LEIA MAIS: Barreiras sanitárias não impedem alta de casos confirmados em Juazeiro e Crato

Números

Nas últimas semanas, Juazeiro apresentou crescimento no número de casos confirmados de covid-19. Entre os dias 8 e 15 de maio, os índices foram de 27 para 50 casos, aumento de 85%. Na semana seguinte, entre 16 e 23 de maio, a alta foi de 170%, saindo de 54 para 146 confirmações. No boletim desta quarta (27), a Secretaria de Saúde informa 218 casos e 10 óbitos.

O Hospital de Campanha e a Unidade de Suporte ao Covid-19, prometidos há quase dois meses, não funcionam ainda em Juazeiro. Segundo a prefeitura, esses locais, juntos teriam de 100 a 150 leitos exclusivos para tratar pacientes com suspeitos ou já com o coronavírus.

Unidade de apoio

No dia 2 de abril, a prefeitura divulgou fotos do prefeito Arnon Bezerra (PTB) e do deputado Fernando Santana (PT). Nas imagens, os dois visitavam a estrutura que seria a Unidade de Suporte – um prédio construído para instalação de uma UPA, no bairro Lagoa Seca. Na nota à época, a prefeitura estimava um prazo de 15 dias para término da obra.

Arnon e Fernando Santana (Foto: Ascom)

Hospital de Campanha

A reunião de ontem também falou sobre o Hospital de Campanha. A primeira vez que a prefeitura falou sobre este equipamento foi há 53 dias. De lá para cá, o local de construção passou do Vapt-Vupt para o Ginásio Poliesportivo, mas não há ainda uma estrutura montada, nem previsão formal para que o hospital passe a funcionar.

O Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedeci), Michel Araújo, apresentou na reunião, o que chamou de  “plano de retomada do comércio, dos serviços e da indústria”. A nota da assessoria destacou que esse plano foi pensando “ressaltando todos os cuidados necessários”. Não há, no entanto, nenhuma informação concreta sobre esse planejamento, nem quais cuidados serão tomados na reabertura.

Participaram da reunião os empresários Patrícia Coelho, representando o setor de construção civil, através da CRC; o empresário Abelito Sampaio, do Sindindústria; Marcello Nevares, da Óticas Diniz; Zenilda Sena, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Marilia Falcioni, do setor de serviços, além dos representantes do setor público municipal.

Compartilhar:
Comentar:
*Publicidade