Entenda como está o funcionamento do passaporte da vacina nos estabelecimentos do Cariri - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Entenda como está o funcionamento do passaporte da vacina nos estabelecimentos do Cariri
Na última segunda-feira (22), a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) informou que daria início a fiscalização dos bares e restaurantes sob pena de multa ou interdição em casos de descumprimento do decreto
Yanne Vieira
Passaporte sanitário no Ceará pode ser apresentado por cartão de vacinação físico ou digital
Passaporte da vacina no Ceará (Foto: Governo do Ceará)

O Governador do Ceará, Camilo Santana (PT), implementou no dia 15 de novembro, por meio de decreto, a obrigatoriedade da apresentação do Passaporte da Vacina contra a Covid-19 para ingresso em restaurantes, bares e eventos em todo o estado. O documento, emitido através do aplicativo Ceará App, tem como objetivo dar mais segurança aos cidadãos e incentivar a vacinação.

Na última segunda-feira (22), a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) informou que daria início a fiscalização dos bares e restaurantes sob pena de multa ou interdição em casos de descumprimento do decreto. No Cariri, alguns bares e restaurantes já começaram a solicitar o documento. A equipe de reportagem do Site Miséria visitou, neste final de semana, alguns estabelecimentos do município de Juazeiro do Norte para acompanhar esse processo.

Em um bar localizado no bairro Lagoa Seca, observamos a disposição dos clientes em fila na porta de entrada para apresentação do passaporte da vacina, mas percebemos que existem exceções à regra. Na ocasião, um dos clientes não apresentou o cartão de vacina, mas afirmou já ter tomado as duas doses. Em seguida, teve sua entrada permitida.

Já no centro de Juazeiro do Norte, alguns bares não solicitam o passaporte, mesmo sendo em ambientes abertos, o decreto exige a apresentação do documento. Foi observado, ainda, que alguns garçons não utilizavam a máscara de proteção de forma correta. Conversamos com um dos atendentes de um restaurante do centro, o mesmo afirmou que a empresa segue os protocolos do decreto, mas com a alta demanda, não consegue controlar a entrada, “geralmente as pessoas já mostram o cartão de vacinação”, conclui.

Do lado de cá, desde o anúncio da necessidade do documento, a população tem reclamado da dificuldade na hora emitir o passaporte, alguns relatam que o aplicativo não apresenta as doses de forma correta, principalmente a segunda, e outros não conseguem atualizar a plataforma. Os estabelecimentos foram incentivados pelo Governo do Ceará e também pela Secretaria de Saúde dos municípios, a aceitar o cartão de vacinação tradicional.

O estudante Guilherme Thalys, foi um dos que tiveram problemas na emissão do passaporte, “não consigo validar”. Mesmo tendo recebido as duas doses, o estudante usa o cartão de vacinação impresso para garantir a entrada nos estabelecimentos. Guilherme, ainda, afirma que é preciso divulgar a informação sobre a necessidade do documento “eu acredito que muita gente não saiba”. Sobre a obrigatoriedade do passaporte, o estudante relata que se sente mais seguro nos estabelecimentos, “é bom saber que as pessoas que frequentam os mesmos lugares que eu estão se cuidando também”, conclui.

Para quem perdeu o cartão de vacinação entregue no dia da imunização, alguns estabelecimentos optaram por aceitar a foto do comprovante de imunização, como forma de ingresso no local. No município do Crato também foi anunciada a necessidade de apresentação do passaporte, além dos bares e restaurantes, a solicitação é vista na divulgação de eventos e festas privadas. Em Barbalha, conversando com moradores, o ritmo de implementação do decreto ocorre de forma mais lenta, parte dos estabelecimentos ainda não aderiram ao passaporte.

Compartilhar
Comentar
*Publicidade