Fase 4 em Juazeiro: igrejas voltam a realizar celebrações abertas ao público nesta quarta (16) - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Fase 4 em Juazeiro: igrejas voltam a realizar celebrações abertas ao público nesta quarta (16)
Sarah Gomes
Foto: Guto Vital/Agência Miséria

Sacramentos, celebrações públicas e ações litúrgicas voltarão a ser abertas ao público em Juazeiro do Norte a partir desta quarta-feira (16). De acordo com o Decreto Municipal Nº 574, após quase 6 meses celebrando sem a presença dos fiéis, as Igrejas poderão acolher 50% da sua capacidade.

Ciente de que parte dos fiéis integram os grupos de risco, a Diocese decidiu manter a transmissão das celebrações através dos meios de comunicação para aqueles que não puderem comparecer a Igreja por questões de saúde e segurança.

Leia um trecho da nota assinada por Dom Gilberto Pasta de Oliveira, bispo diocesano de Crato:

“Assim, ficam autorizadas, a partir desta quarta-feira, dia 16 de setembro, a administração dos sacramentos, as celebrações públicas e outras ações litúrgicas seguindo a ocupação limitada a 50% da capacidade e 1 (uma) pessoa por cada 12m², observando as demais medidas protetivas, tais como o uso obrigatório de máscara e de álcool em gel. Continuem transmitindo as celebrações pelos meios de comunicação (rádio e internet) para que os grupos de risco (crianças, idosos e pessoas com morbidades) possam acompanhar.

Ao retomar às nossas atividades próprias da vida eclesial, busquemos esclarecer o melhor possível quanto importa ao bem-estar dos nossos fiéis, conforme nos diz a Palavra do Senhor: “Eu tenho claro meu desígnio em relação a vós – oráculo do SENHOR! É um desígnio de paz, não de sofrimento: eu vos darei futuro e esperança!” (Jer 29, 11). Busquemos, igualmente, exortá-los a não se descuidarem de si, dos seus e das pessoas que os cercam, pois o panorama da Covid-19 ainda é inquietante.

Reafirmamos que a defesa da Igreja é a vida. Por isso, ao oferecermos a Deus o Santo Sacrifício da Missa, façamo-lo também na intenção de que a ciência se apresse na aprovação de uma vacina capaz de nos proteger dessa e de outras ameaças pandêmicas.”

 

Compartilhar
Loading spinner
Avalie esta notícia
Comentar
*Publicidade