Fortaleza melhora aproveitamento em relação à temporada 2019 - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Fortaleza melhora aproveitamento em relação à temporada 2019
Em relação a 2019, o Fortaleza melhorou a sua performance no início de temporada
Redação
Osvaldo é um dos principais elementos no esquema tático de Rogério Ceni FOTO: KID JUNIOR

O torcedor do Fortaleza tem vários motivos para estar feliz. Campeão cearense e da Copa do Nordeste em 2019, o Tricolor fez uma bela campanha na Série A do ano passado e conseguiu a inédita classificação para a Copa Sul-Americana. O início deste ano não tem sido diferente. Das sete partidas disputadas até aqui, o Leão venceu quatro, empatou duas e perdeu apenas uma tendo um aproveitamento de 66,6%. Acima, inclusive, de como foi em 2019, quando os comandados de Rogério Ceni somaram 52,3% de proveito também nos sete primeiros jogos.

A evolução no futebol e no aproveitamento muito se dá pelo trabalho contínuo que o clube vem fazendo desde 2017, quando foi vice-campeão da Série C e manteve uma base para o ano seguinte e também a mesma fórmula até aqui. Inclusive, não só com atletas, mas fazendo o possível para manter Ceni no cargo de treinador após pouco mais de um mês comandando o Cruzeiro na Série A do ano passado.

Reforços

Entre os atletas, o grande exemplo disso é Romarinho. O atacante, que chegou a ser preterido pelos torcedores do Leão, é uma das principais peças do setor ofensivo do time de Rogério. Hábil e veloz, o atacante atua pelas pontas e está sempre levando perigo ao gol adversário em jogadas com Osvaldo, que tem um estilo semelhante.

Outro motivo também que deve ser ressaltado, além da permanência de jogadores importantes, é a contratação de atletas em posições pontuais. Quando o Leão precisava de um “fazedor de gols” no ano passado, Marcelo Paz contratou Wellington Paulista para o setor e o centroavante terminou o ano de 2019 como artilheiro da equipe.

No atual momento, podemos falar de David. O atacante vinha de uma temporada muito ruim pelo Cruzeiro. O clube mineiro fez campanha pífia na elite e foi rebaixado para a Série B. Sob desconfiança de parte da torcida devido ao pouco futebol que havia apresentado na Raposa, David chegou ao Tricolor do Pici a pedido de Rogério Ceni. O atacante tem o estilo preferido de Ceni. Ponta veloz e habilidoso. E não demorou muito para desencantar. Com um início promissor, foi titular em duas das quatro partidas que fez até aqui e anotou dois gols, mostrando que o investimento de R$ 5 milhões para tirá-lo do Cruzeiro valeu a pena.

Querendo evoluir a cada partida e visando chegar forte nas competições deste ano, o elenco foi reforçado em quase todos os setores. Na defesa, chegou o zagueiro João Paulo. No meio, chegaram o volante Michel e o meia Luiz Henrique, por empréstimo do Flamengo. Para o ataque, além de David, Edson Cariús e Madson, jovem revelação do Corinthians, são os reforços.

Formações

Mais um ponto importante é que além de ter mantido a base e trazido reforços, Rogério Ceni tem utilizado novas formações em sua equipe. Depois de escalar sua equipe no 4-2-4, com quatro atacantes em campo, atua agora no 4-3-3. Com isso, a equipe ainda se mantém forte no ataque, mas sem deixar “buracos” na primeira parte do campo.

Uma prova disso foi o jogo de ida da Sul-Americana contra o Independiente. Apesar da derrota na Argentina, o Leão se mostrou confiante na defesa e se atreveu ao ataque, tendo criado várias chances de gol. A tendência é que o Fortaleza continue nesta crescente dentro das quatro linhas mantendo a base de seu elenco e Ceni no comando.

Diário do Nordeste

Compartilhar:
Comentar:
*Publicidade