Acusado de negativar as contas da Câmara de Juazeiro, Bilinha se pronuncia - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Acusado de negativar as contas da Câmara de Juazeiro, Bilinha se pronuncia
“Nossas contas foram entregues mês a mês e nunca foram questionadas”
Viviane Bastos
Foto: Josimar Segundo

Na Sessão Ordinária realizada na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, nesta terça-feira (24), os vereadores Darlan Lobo (PTB), Capitão Vieira Neto (PTB) e William Bazílio (PMN) protagonizaram um debate acerca de denúncias sobre as contas da Casa Legislativa durante os últimos seis meses.

No período de afastamento, do presidente Darlan Lobo e do 1º vice-presidente, Capitão Vieira, quem assumiu interinamente foi o 2º vice-presidente William Bazílio. Na primeira sessão que marcou a volta de Darlan, Capitão Vieira e Beto Primo, o presidente esclareceu à imprensa que ao sair da Casa, deixou um saldo de R$ 1,2 milhão. No retorno, o saldo era de R$ 69.821,81.

Na Tribuna, o ex-presidente interino, vereador Bilinha esclareceu a fala do presidente e até da imprensa em relação às contas da Câmara Municipal. O parlamentar apresentou um extrato da conta, datada de 17 de maio, com o saldo positivo de quase R$ 70 mil. “Nossas contas foram entregues mês a mês e nunca foram questionadas”, declarou Bilinha.

O vereador ainda reafirmou que está tranquilo e que a sensação é de dever cumprido nos últimos seis meses. “Não respondo por nada. Minha consciência está tranquila”, disse. Ainda na Tribuna, o parlamentar rebateu denúncias em relação ao suposto favorecimento por parte da assessoria jurídica, também exposto pelos vereadores que retornaram aos trabalhos na última semana.

Após o pronunciamento de Bilinha, o vereador Capitão Vieira Neto usou tempo de fala para se defender, já que teve o nome citado pelo 2º vice-presidente. Capitão Vieira Neto reafirmou denúncias que insinuavam que o maior beneficiado com um novo afastamento dos parlamentares seria Bilinha.

Leia mais

Darlan Lobo também se pronunciou sobre as contas da Casa Legislativa. “Entreguei a Câmara com R$ 1,2 milhão e recebi com R$ 69 mil. Com antecipação de R$ 100 mil do duodécimo do município, fica um saldo negativo de R$ 31 mil. É matemática simples”, afirmou. O presidente ainda explicou que não há dinheiro para pagar as contas.

Compartilhar
Comentar
*Publicidade