Disputa interna no PDT se torna cada vez mais acirrada - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Disputa interna no PDT se torna cada vez mais acirrada
Postura do presidente nacional do PDT causou mal-estar entre os pré-candidatos durante encontro
Viviane Bastos
Foto: Reprodução

A disputa em relação à indicação do nome do candidato do PDT ao Abolição ganhou um novo capítulo. Até pouco tempo, os discursos eram de que o “projeto não é individual” e que a escolha do candidato da aliança PDT-PT daria continuidade aos trabalhos já desenvolvidos no Ceará.

Internamente, a escolha do nome a ser lançado candidato tem ficado cada vez mais acirrada. Na última quarta-feira (15), o PDT Nacional realizou o primeiro encontro regional no estado. Em Fortaleza, ficou evidente o apoio do presidente nacional da sigla, Carlos Lupi, ao nome do ex-prefeito da capital cearense, Roberto Cláudio.

RC é o nome preferido por Ciro Gomes entre os quatro cotados pelo PDT na corrida ao Abolição. Ainda estão na disputa a atual governadora, Izolda Cela, o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão e o deputado Mauro Filho.

Durante o encontro, Lupi cantou, fazendo menção a Roberto Cláudio, um trecho do jingle “O melhor prefeito do Brasil vai virar Governador”, produzido em 1998, durante a campanha de Anthony Garotinho ao governo do estado do Rio de Janeiro.

A postura de Lupi, no entanto, causou mal-estar já que o presidente nacional da sigla ignorou as pré-candidaturas de Izolda, Evandro e Mauro.

A reação foi manifestada em uma nota assinada por Evandro Leitão. “Ele, como presidente nacional, deveria se comportar como magistrado nesse processo, respeitando os quatro pré-candidatos, nós parlamentares e lideranças, e não como militante em prol de uma candidatura’’, escreveu. ‘’Esse comportamento inadequado não contribui em nada para o momento que estamos vivendo’’, acrescentou o presidente da AL-CE.

Carlos Lupi respondeu Evandro. “Inadequado e desrespeitoso é o deputado Evandro Leitão, que mesmo sendo do PDT, chegou ao encontro do partido atrasado, ficou cerca de meia hora e foi embora. Independente de ser o presidente nacional do PDT, vivemos em uma democracia e tenho direito de manifestar minha opinião”, declarou o presidente do PDT.

O presidente da AL-CE chegou ao encontro junto com a governadora Izolda Cela, que cumpria agenda. Mais cedo, Izolda e Evandro se reuniram com representantes da multinacional australiana Fortescue Metals Group para concretizar o Hub de Hidrogênio Verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Na ocasião, a governadora assinou o pré-contrato para viabilizar a implantação da primeira usina de H2V no Pecém.

PT reafirma apoio à Izolda Cela

No início da semana, o vice-presidente nacional do PT, José Guimarães, declarou ao Site Miséria que a aliança PT-PDT não seria mantida com “imposição” ou “arrogância” e que o único nome possível para o apoio seria o da atual governadora, que também tem o aval do ex-governador Camilo Santana (PT).

Na manhã desta sexta-feira (17), Guimarães seguiu no mesmo tom. A um veículo de comunicação na cidade de Ipaporanga, o deputado federal admitiu que o partido quer manter a aliança no Ceará. “O natural é Izolda ser a candidata. Querem inventar coisas (…) vai terminar trincando, rachando a aliança. O PT não vai se submeter ao capricho de ninguém”, afirmou.

A expectativa é que o nome do candidato da aliança seja anunciado até o início de julho.

Compartilhar
Comentar
*Publicidade