Usina solar do Ceará reduz emissão de 244 toneladas de gás carbônico na atmosfera - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Usina solar do Ceará reduz emissão de 244 toneladas de gás carbônico na atmosfera
O número equivale ao plantio de 667 árvores
Yanne Vieira
Foto: Deivysson Teixeira

Desde que foi inaugurada, há quase cinco meses, a Usina de Minigeração Solar Fotovoltaica do Centro de Treinamento do Trabalhador Cearense (CTTC/IFCE) vem apresentando resultados satisfatórios, tanto na economia com energia elétrica quanto na redução de gás carbônico na atmosfera.

De acordo com a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), durante o período já foram economizados cerca de R$ 85 mil apenas na conta de energia. A usina também possibilitou que 244 toneladas de CO² deixassem de ser liberadas, o que, segundo a pasta, vem favorecendo a descarbonização e melhorando a qualidade do ar. O número equivale ao plantio de 667 árvores.

Inaugurada pelo Governo do Ceará, por meio da Secitece, a usina está localizada no Pecém, e conta com investimentos de quase R$ 1,3 milhão. É considerada, atualmente, o maior equipamento público de geração fotovoltaica do estado. A estrutura gerar energia para utilização nas dependências do CTTC e da Secitece.

Os painéis fotovoltaicos estão instalados nos telhados dos blocos do CTTC. A usina serve, também de base para formação de profissionais na área de energias renováveis, em uma parceria com o IFCE, envolvendo, ainda, empresas da região.

De acordo com a Secretaria, a iniciativa está em sintonia com o que prevê o Protocolo de Kyoto, tratado internacional firmado por países com metas de redução de emissão de gases de efeito estufa.

Sobre o CTTC

O Centro de Treinamento do Trabalhador Cearense (CTTC) é um dos principais instrumentos para promover a capacitação profissional em áreas estratégicas do Estado. O equipamento foi cedido ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), que administra e coordena cursos de formação técnica para estudantes e profissionais, atendendo às necessidades das indústrias localizadas no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). A Secitece garante o transporte e a alimentação dos alunos, além das despesas com energia.

Compartilhar
Comentar
*Publicidade