Aos 101 anos, sobrevivente da gripe espanhola e 2ª Guerra vence covid - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
Aos 101 anos, sobrevivente da gripe espanhola e 2ª Guerra vence covid
Redação
Hospital fica no noroeste da Itália Reprodução/Facebook

A vida reservou situações difíceis de superação para um senhor que, aos 101 anos, venceu mais uma batalha: o sr. P. (cuja identidade foi preservada) está curado da covid-19. A informação foi divulgada por vários jornais europeus, entre eles o Daily Times, a partir de artigos do Rimini Today e News Rimini. A reportagem é do R7.

O momento em que, na semana passada, ele deixou o hospital Ospedale Infermi di Rimini, em Rimini, noroeste da Itália, onde nasceu, foi mais um passo em relação ao que parece ser o seu destino, o de morrer de causas naturais.

A primeira superação ocorreu quando ele era recém-nascido. Em 1918, a gripe espanhola, uma das duas maiores pandemias da história, assolou o mundo e atingiu seu pico no ano do nascimento dele, 1919.

Em pouco tempo, a gripe matou 50 milhões de pessoas, tendo infectado um terço da população mundial. A doença, no entanto, não o atingiu.

Depois dos frenéticos anos 20, pós-Primeira Guerra, ele era jovem quando seu país, sob o regime fascista, entrou na Segunda Guerra Mundial.

A cidade dele era um dos centros da chamada Linha Gótica, de defesa nazi-fascista. Na batalha de Rimini, em 1944, foi bombardeada e se tornou um dos principais palcos da luta dos aliados contra o eixo.

Ele viu de tudo, desde a fome até o progresso. Viveu tempos de guerra e de paz. Quando parecia que não teria mais nada para contar, eis que ele se recupera da covid-19, conforme contou Gloria Lisi, vice-prefeita de Rimini.

Ela disse que, quando o paciente começou a se recuperar, veio à tona “a história que todos falaram” no hospital. Uma história de superações, que serviu de exemplo, segundo ela.

“Todos viram esperança para o futuro de todos nós na recuperação de uma pessoa com mais de 100 anos”, disse Lisi.

“Todos os dias vemos as tristes histórias dessas semanas que falam mecanicamente sobre um vírus que se enfurece e é especialmente agressivo para os idosos. Mas ele sobreviveu. O sr. P. sobreviveu”, completou.

Nos últimos dias, mais de 11 mil mortes ocorreram na Itália, por causa do novo coronavírus, fazendo o país se tornar o epicentro da pandemia.

O sr. P. entra na lista dos pacientes com mais de 100 anos que sobreviveram ao vírus. Uma delas é a italiana Italica Grondona, de 102 anos. Na China, Zhang Guangfen, uma mulher de 103 anos, residente em Wuhan, epicentro inicial da pandemia, recebeu alta em meados de março.

180 graus

Compartilhar:
Comentar:
*Publicidade