O que se sabe sobre a nova variante da dengue? - Site Miséria 

Compartilhar
Publicidade
Publicidade
O que se sabe sobre a nova variante da dengue?
Nova varante foi identificado pela primeira vez em território brasileiro no município de Aparecida, em Goiânia
Yanne Vieira
Dengue
Óbitos foram registrados nos municípios de Alfenas, Medina, Itinga e Carneirinho (Foto: Pixabay)

A nova cepa da dengue é considerada a mais transmissível no mundo. O genótipo cosmopolita do sorotipo 2 do vírus, presente na Ásia, Pacífico, Oriente Médio e África, foi identificado pela primeira vez em território brasileiro no município de Aparecida, em Goiânia.

Pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), órgão da Fiocruz, afirmam que a identificação da variante em Aparecida representa o segundo registro oficial desse genótipo nas Américas. O primeiro foi após um surto em Madre de Dios, no Peru, em 2019.

A Fundação explica que o vírus da dengue possui quatro sorotipos: 1, 2, 3 e 4. Cada um pode ser subdividido em diferentes genótipos, a partir das variações genéticas. De acordo com o estudo, o genótipo cosmopolita é um dos seis genótipos do sorotipo 2.

Para os pesquisadores da Fiocruz, a chegada dessa cepa ao Brasil preocupa, porque existe a possibilidade de disseminação de forma mais eficiente do que a linhagem asiático-americana, também conhecida como genótipo 3 do sorotipo 2, que atualmente circula no país.

A partir das análises feitas no Brasil, a linhagem encontrada é semelhante a dois microrganismos isolados durante o surto registrado na província de Madre de Dios. Mas ainda não é possível dizer que o genótipo cosmopolita foi introduzido no Brasil a partir do país vizinho. Há suspeita de que tenha chegado a partir da Ásia, através de viagens intercontinentais.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que a dengue já foi identificada em mais de 100 países e atinge anualmente de 50 a 100 milhões de pessoas no mundo.

Segundo a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS), entre janeiro e julho de 2007 foram registrados no Brasil, 438,9 mil casos da dengue clássica, 926 casos de febre hemorrágica e 98 óbitos. Em relação a 2006 houve um aumento de 136,4 mil casos no país. A SVS/MS explica que isso ocorreu devido à epidemias em alguns estados.

A variante também é combatida de maneira tradicional, com a eliminação de depósitos de água parada, que podem se tornar criadouros do mosquito transmissor.

Compartilhar
Comentar
*Publicidade