Terça-feira
26 de Setembro de 2017
Publicidade
Publicidade
Terça-feira, 26 de Setembro de 2017
Publicidade
Publicidade
Segundo pesquisa
Fumar muda células pulmonares, preparando-as para desenvolver câncer
Exposição crônica à fumaça de cigarro pode mudar as células dos pulmões ao longo do tempo (Foto: Oswaldo Corneti/Fotos Públicas)
Em 12/09/2017 às 17:00

A exposição crônica à fumaça de cigarro pode mudar as células dos pulmões ao longo do tempo, tornando-as mais vulneráveis a doenças e preparando-as para desenvolver câncer, segundo uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira.

O artigo publicado pela revista especializada Cancer Cell é baseado em experimentos de laboratório com células pulmonares que foram expostas de forma crônica à fumaça de cigarro, o equivalente a pessoas que fumaram de 20 a 30 anos.

Depois de 10 dias, as células começam a mudar sua expressão genética, um processo conhecido como mudança epigenética.

Mas demorou dez meses para que essas mudanças fossem suficientes para aumentar as possibilidades de desenvolver câncer.

"Quando você está fumando, cria um substrato de mudanças epigenéticas que hipoteticamente aumenta suas possibilidades para desenvolver câncer de pulmão", disse o coautor do estudo Stephen Baylin, codiretor do programa Cancer Biology da Universidade Johns Hopkins.

"Se você não é fumante, seu risco de câncer de pulmão é muito baixo", disse o acadêmico.

Estas anomalias epigênicas desativam uma série de genes que são necessários para ajudar a proteger as células normais do desenvolvimento do câncer.

O fato de que as mudanças epigenéticas não alterem ou mutem a sequência dos genes do DNA básico sugere que há esperança para as pessoas que querem parar de fumar.

"Este trabalho sugere a possibilidade de que, diferentemente das mutações, que são muito difíceis de reverter, se você parar de fumar em certo momento e por determinado tempo, você tem chance de diminuir matematicamente as suas possibilidades de que ocorram mudanças epigenéticas", disse Michelle Vaz, coautora do estudo e pesquisadora da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

"A hipótese é que há potencialmente mudanças reversíveis que estão contribuindo para o desenvolvimento de certo tipo de cânceres de pulmão", indicou.

Fonte: AFP

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal só é permitida com o devido crédito da fonte e, caso não se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, clique aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira