Segunda-feira
22 de Janeiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Impasse
Diante de resistências, PSDB adia decisão sobre reforma da Previdência
Expectativa era de que os tucanos se posicionassem, em definitivo, na reunião da Executiva convocada para esta quarta-feira (Foto: Reprodução)
Em 06/12/2017 às 10:15

A cúpula do PSDB decidiu adiar a definição do partido sobre fechar ou não questão a favor da reforma da Previdência.

A expectativa era de que os tucanos decidissem na reunião da Executiva convocada para o final da manhã desta quarta-feira (6) se obrigaria todos os seus deputados a votar favoravelmente às alterações na Previdência, sob risco de punição aos rebeldes.

No entanto, com a ameaça de deputados da legenda não comparecerem ao encontro convocado pelo presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, decidiu-se não tratar do assunto agora.

"Não entrará na pauta da reunião de hoje do PSDB o fechamento de questão sobre o tema. Presidente em exercício da sigla, Alberto Goldman explica que esse debate ocorrerá quando houver data marcada para a votação da Reforma, bem como o texto final a ser votado", diz nota distribuída pela assessoria de imprensa do PSDB.

De acordo com o comunicado, a reunião da Executiva contará com a presença do secretário da Previdência, Marcelo Caetano, e do relator da Reforma da Previdência na Câmara, Arthur Maia (PPS-BA), para explicar as mudanças no texto que saiu da comissão especial, no início do ano.

O PSDB na Câmara tem 46 votos tidos como cruciais para o governo, que ainda está longe dos 308 votos que precisa para aprovar a PEC (proposta de emenda à Constituição).

A crise entre PSDB e governo vem se agravando desde a semana passada, quando o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) disse que os tucanos não integram mais a base aliada do presidente Michel Temer.

No início desta semana, a situação ficou ainda mais complicada depois que, em entrevista à Folha de S.Paulo, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) fez críticas ao partido e disse que o governador de São Paulo, Geraldo Alckcmin (PSDB), não será o candidato do Palácio do Planalto à Presidência da República em 2018.

Nenhum parlamentar tucano compareceu ao café da manhã promovido por Temer nesta manhã para discutir apoio à reforma da Previdência.

O único integrante do PSDB que estava presente era o ministro Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo).

O tucano resiste em deixar o cargo, que deve ser ocupado pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS). 

 

noticiasaominuto

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
A reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo (textos, imagens, infográficos, arquivos em flash, etc) do portal só é permitida com o devido crédito da fonte e, caso não se configure, poderá ser objeto de denúncia tanto nos mecanismos de busca quanto na esfera judicial. Se você possui um blog ou site e deseja estabelecer uma parceria para reproduzir nosso conteúdo, clique aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira