Quinta-feira
22 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018
Publicidade
Publicidade
Atacante

Dourado terá período de suspensão de Guerrero para se consolidar no Fla

Em 02/02/2018 às 14:15
Compartilhar
Henrique Dourado posa com a camisa do Flamengo durante apresentação no clube (Foto: Reprodução)

Henrique Dourado trocou o Fluminense pelo Flamengo. Além das cores da camisa, o Ceifador encontrará também novos companheiros e, consequentemente, novos concorrentes. O maior deles é Paolo Guerrero, suspenso por uso de doping com a substancia benzoilecgonina, metabólito da cocaína.

O peruano foi suspenso pela Fifa por seis meses e poderá voltar aos gramados em maio. Guerrero tentará reduzir a pena na CAS (Corte Arbitral do Esporte), em julgamento que deverá ocorrer em fevereiro. Enquanto não há definição, o período inicial será fundamental para o novo reforço aproveitar a brecha e se consolidar no comando do ataque do Flamengo.

A verdade é que por mais que Guerrero seja ídolo e tenha boas atuações, a quantidade de bolas na rede tem sido um problema para o Flamengo nas últimas temporadas. Em 2017, o peruano fez 20 gols em 44 jogos, média de 0,45 gol por partida. Os números são inferiores aos de Dourado, artilheiro do Brasil no ano passado, tendo marcado 32 em 59 duelos – média de 0,54.

A temporada de 2017 foi a melhor da carreira de Henrique Dourado. Para se ter uma ideia, ele ganhou o apelido de Ceifador no Palmeiras, em 2014. Naquele ano, ele marcou 18 gols em 39 jogos, o que representa uma média de 0,46 por duelo. Em nenhum outro período ele se aproximou do que viveu com a camisa do Fluminense nos últimos 12 meses.

Coincidentemente, o ano passado também foi o melhor de Guerrero na carreira. Em nenhuma outra temporada ele havia marcado 20 gols – o recorde era 18 no próprio Flamengo, em 2017. A evolução, no entanto, parece não ter sido suficiente para a diretoria do Rubro-negro, que trouxe um concorrente de peso para a camisa 9.

Além de Guerrero, Henrique Dourado também terá a concorrência de uma joia rubro-negra. Lincoln, companheiro de Vinicius Jr na base, tem sido monitorado por gigantes europeus e tem recebido oportunidades com o técnico Paulo César Carpegiani neste início de temporada.

 

uol

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira