Ceará
Esperança
Seca extrema tem redução de 35% no Estado do Ceará
Compartilhar

No mesmo período de 2017, todos os municípios do Estado eram assolados pela seca grave (S2), quarto estágio na escala utilizada pelo Governo (Foto: Reprodução/ Diário do Nordeste)

Em 22/02/2018 às 07:00
Publicidade

No mês que antecede o início da quadra chuvosa, índices positivos dão esperança para a diminuição gradativa da seca no Ceará. De acordo com o Monitor das Secas da Agência Nacional das Águas (ANA), ferramenta do Governo Federal para o monitoramento da situação de estiagem no Nordeste, 30,4% do território cearense apresenta Seca Excepcional. Ante janeiro do ano passado, o Estado passou por redução do maior grau de seca em 33,2%. A seca excepcional configura áreas onde pode haver perdas de cultura/pastagem excepcionais e generalizadas; escassez de água nos reservatórios, córregos e poços de água, criando situações de emergência.

No mesmo período de 2017, todos os municípios do Estado eram assolados pela seca grave (S2), quarto estágio na escala utilizada pelo Governo. No mês passado, 73,1% do território estava na mesma escala. Nem mesmo a seca moderada - terceiro estágio - assola todo o Estado, neste ano, sendo registrada a presença da mesma em 82,45%.

Publicidade


A maior redução, no entanto, foi registrado nos casos de seca extrema (S3), passando da incidência de 88,78% do Estado para 53,43%, registrando redução de 35,35%. Segundo o monitoramento, os impactos sociais, ambientais e econômicos causadas pela estiagem e pelo déficit de umidade devem ser de curto prazo (quatro meses ou menos) e de curto a longo prazo (mais de 12 meses) no Estado.

Pré-estação

Publicidade


Segundo o meteorologista Raul Fritz, da Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), os sistemas meteorológicos que atuaram durante a pré-estação foram responsáveis para melhorar a condição geral da estiagem no início do ano.

"Choveu melhor principalmente em torno do litoral de Fortaleza e do Maciço de Baturité, diminuindo de seca grave para fraca. Isso é muito bom para a região porque em muitas outras diminuiu apenas de excepcional para grave, e isso não significa que os impactos da seca são mais amenos", comenta. O meteorologista acrescenta que chuvas isoladas também melhoraram a situação da parte central do Estado.

A Funceme anunciará o prognóstico para o próximo trimestre no Estado amanhã (23). A perspectiva servirá para dar um panorama sobre a condição da seca ao longo do ano. "Com as condições que estão sendo apresentadas, oceânicas e atmosféricas, que poderão permitir melhores distribuições de chuvas, é possível que esse ano tenhamos uma quadra bem melhor. O prognóstico irá verificar se as condições continuarão favoráveis. Se continuar, a tendência é que chova acima da média, e isso será significativamente decisivo".

Em comparação com o mês de dezembro, o Governo Federal acrescentou que, apesar de as precipitações terem ficado acima da média do mês em muitas localidades, as chuvas ocorreram de forma isolada e concentradas em poucos dias. Assim, houve pouca alteração nas condições de secas no Estado. (Colaborou Fabrício Paiva).

Diário do Nordeste


Compartilhar

Publicidade
Mais do Site Miséria
Publicidade

Enquete
Você costuma fazer a revisão do veículo quando vai viajar?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor