Quarta-feira
20 de Junho de 2018
Publicidade
Publicidade
Quarta-feira, 20 de Junho de 2018
Publicidade
Publicidade
No Piauí

MP denuncia PMs por peculato após sumiço de R$ 300 mil de banco

Em 03/03/2018 às 08:20
Compartilhar
PMs deixaram o local do crime com o dinheiro (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O Ministério Público do Piauí denunciou os policiais militares Vanderlei Silva e Erasmo Furtado por deixarem o Banco do Nordeste, alvo de assalto no dia 19 de dezembro, com duas caixas de dinheiro. O promotor Assuero Stevenson Pereira representou contra eles pelo crime de peculato, crime próprio dos agentes públicos que desviam ou apropriam-se de dinheiro ou bem que teriam a posse. A investigação apontou que os dois sumiram com mais de R$ 300 mil.

Foram encontradas ligas de borracha usadas para prender dinheiro na viatura em que os suspeitos estavam. Metade do valor que quase foi levado por assaltantes sumiu após a chegada da Polícia Militar e nunca foi recuperado.

Imagens de câmeras de segurança cedidas pela Polícia Civil mostram o momento em que os policiais militares são vistos saindo com dinheiro e levando para o 5º Batalhão da Polícia Militar, mas segundo o inquérito policial militar, a dupla teria parado antes na frente do Zoobotânico.

“Para o ministério público não há dúvida de que a dupla desviou o dinheiro do banco. Sabemos onde eles foram e pararam. O inquérito esta bem instruído”, afirmou o promotor Assuero Stevenson.

Os dois militares continuam presos em uma unidade prisional militar por não terem preservado a cena do crime, mas a defesa diz que eles são inocentes. “Ao se deslocar do banco do Nordeste para o 5º Batalhão, eles receberam ordem para fazer isso. Quando chegaram no local, o major Flávio Pessoa [comandante do BPM na época] ordenou que eles tirassem o dinheiro de dentro da viatura deles e colocasseM na viatura dele. Esta transferência foi feita pelo major Nivaldo. Nós vamos provar isso e mostrar que em nenhum momento eles subtraíram nenhuma quantia”, disse o advogado Pitágoras Veras.

Os oficiais que são citados pela defesa foram afastados dos cargos e não foram denunciados pelo promotor. “Não há indícios de participação deles neste suposto crime”, afirmou o promotor.

O caso está sendo investigado pela Corregedoria da Polícia Militar. Os militares estão suspeitos a investigação que pode levar inclusive à perda da farda .

A PM afirmou que aguarda o recebimento oficial da denúncia do Ministério Público para dar prosseguimento ao processo administrativo que apura a conduta dos militares. Esse processo vai decidir o destino dos dois suspeitos dentro da corporação, mas o secretário de segurança, Fábio Abreu, comentou que caso seja comprovada a participação dos militares no crime eles serão punidos com pena máxima que é a exclusão da corporação.

Fonte: G1 PI

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira