Cariri
Região endêmica
Crato e Juazeiro são escolhidos para controlar tuberculose
Em 06/03/2018 às 06:30

Crato e Juazeiro são escolhidos para controlar tuberculose (Foto: Reprodução/Internet)

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Compartilhar

Crato e Juazeiro do Norte se somam a outras cinco cidades cearenses, escolhidas pelo Ministério da Saúde, como prioritárias para o controle da tuberculose. As duas cidades registraram 50 novos casos da doença, desde o ano passado. O Ceará já contabiliza mais de 80 pessoas afetadas e duas mortes somente nos dois primeiros meses de 2018.

A escolha de Crato e Juazeiro como municípios prioritários se deve ao fato de a região do Cariri ser uma área endêmica, com elevado número de casos de doenças como tuberculose, hanseníase e leishmaniose. Os dois municípios caririenses traçam planos de ação para reduzir a quantidade de pessoas afetadas.

TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
Em Crato, as ações realizadas para o controle da doença são promovidas em hospitais e postos de saúde. Elas envolvem médicos, enfermeiros, dentistas, entre outros profissionais. A perspectiva é de redução de pelo menos 30% de registros da doença este ano, diante das notificações de 2017. De acordo com a coordenadora do setor de epidemiologia cratense, Daniele Norões, os profissionais passam por oficinas de sensibilização e capacitação sobre a doença. “Apresentamos o panorama epidemiológico, fazemos um manejo clínico com os médicos para diagnósticos e tratamentos para tentarmos melhorar a qualificação do processo de trabalho”, explica.

“Queremos fortalecer a busca desses sintomáticos na Atenção Básica, para detectarmos o mais precocemente possível e tratar, quebrando a cadeia de transmissão”, enfatiza. Em Juazeiro, os pacientes acometidos pela tuberculose são acompanhados a cada dois meses. A assistência se estende à família. Conforme a coordenadora do serviço de tuberculose no Município, a médica Francineide Landim, quando tem alguma suspeita, é avaliada a possibilidade de já haver algum caso entre os familiares. “Sempre que tem algum caso, aparece outro naquela família”.
TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE
O setor também realiza um levantamento de casos por bairros para detectar as localidades mais frequentes no registro da doença e, assim, efetivar ações de controle e prevenção. Estas abrangem o fortalecimento da vigilância epidemiológica, ampliação do acesso ao diagnóstico precoce, manutenção da taxa de cura, entre outras.

Desafios

Um dos principais desafios apontados pelas coordenadoras é o abandono do tratamento. Em Crato, a taxa maior é de moradores de rua, que deixam de lado o controle da doença logo após os primeiros sintomas desaparecerem. Em Juazeiro, a falta de veículos para visitas domiciliares também contribui para que os pacientes se afastem do tratamento.

“O problema maior é o abandono. Quando isso ocorre, o paciente fica liberando bacilos e contaminando o ambiente. É muito difícil acabar a tuberculose por isso: pelos casos de abandono ou pela demora em fazer o diagnóstico”, garante Francineide Landim.

Fonte: Jornal do Cariri

Publicidade
Compartilhar

Mais do Site Miséria

Enquete
Até quanto você pretende pagar por um dia de show na Expocrato ou Festa de Santo Antônio?

Qual seu sexo?

timelineResultado Parcial
TV Miséria
Humor