Sábado
26 de Maio de 2018
Publicidade
Publicidade
Sábado, 26 de Maio de 2018
Publicidade
Publicidade
Amigos

Rubinho quis visitar Schumacher,mas família do alemão negou pedido

Em 19/04/2018 às 18:30
Compartilhar
Barrichello disse que colega era "ótima pessoa com taça de vinho na mão" e relembrou ordem da Ferrari para ceder vitória em 2002: "Vomitei de raiva" (Foto: Reprodução)

Rubens Barrichello concedeu uma reveladora entrevista nesta quarta-feira, na qual falou sobre temas delicados como o problema de saúde que sofreu recentemente – disse ter se tratado de um AVC – e da relação com Michael Schumacher, seu ex-companheiro de Ferrari na Fórmula 1. O piloto brasileiro contou que tentou visitar o alemão, que segue misterioso tratamento em casa quatro anos após um grave acidente de esqui, mas teve seu pedido negado.

“Estou buscando meios de saber como é que posso visitá-lo. A primeira vez que tentei eles negaram, disseram “não vai ser legal para você, e também não vai fazer nenhum bem para ele. Não tenho notícias dele”, contou Rubinho, em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo.

Barrichello contou ter sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) antes de passar pela retirada de um tumor benigno no pescoço. Os médicos do hospital contaram ao brasileiro que, inconsciente, ele falou o nome de Schumacher. “Ele ainda deve estar presente de alguma forma.”

“Vomitei de raiva”

Ainda sobre o alemão, que segundo Rubinho era “uma pessoa ótima com uma taça de vinho na mão”, Barrichello relembrou o histórico GP da Áustria de 2002, quando cumpriu ordens da Ferrari e cedeu a vitória a Schumacher, nos metros finais. “Esse dia, saí do pódio e não fui para a sala de imprensa porque fui passar mal. Vomitei muito de raiva.”

O brasileiro disse que passou oito curvas refletindo se deixaria Schumacher passar e temeu perder o emprego. “Eu entrei na última curva decidido que eu não ia deixar. Mas pensei: ‘Eu amo tanto o que eu faço. Será que vou ser despedido?’ E eles disseram que eu deveria pensar duas vezes.”

Rubinho se disse orgulhoso por ter ajudado a mudar as normas da Fórmula 1 (hoje as conversas entre piloto e equipe são gravadas e divulgadas). “Mudaram as regras por causa desse dia. Se você tivesse ouvido, iria sentir nojo. Tenho essa conversa anotada para botar em um livro um dia”. E ainda contou que o troféu da corrida ficou com ele. “Todo mundo viu quem venceu, pegou mal para o Schumacher.”

 

Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
TJ Seguros
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira