Sábado
17 de Novembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Sábado, 17 de Novembro de 2018
Publicidade
Publicidade
Eleições 2018

‘Estamos com uma mão na faixa’, diz Bolsonaro na sede da PF no Rio

Em 17/10/2018 às 17:15
Compartilhar
Candidato do PSL afirmou que o petista Fernando Haddad não conseguirá tirar 18 milhões de votos até o fim do segundo turno (Foto: Reprodução)

A liderança de 18 pontos porcentuais sobre Fernando Haddad (PT), de acordo com a mais recente pesquisa Ibope, divulgada na segunda-feira 15, levou o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, a dizer que se considera praticamente eleito, em razão da dificuldade de seu oponente tirar a diferença de votos nesta reta final de campanha de segundo turno.

“Nós estamos com uma mão na faixa, é verdade. Pode até não chegar lá, mas estamos com uma mão na faixa. [Haddad] não vai tirar 18 milhões de votos de agora até daqui a dois domingos. Não vai tirar isso”, afirmou o candidato nesta quarta-feira, logo após visitar a sede da Polícia Federal, no centro do Rio.



Pouco antes dessa declaração, o próprio Bolsonaro havia desconversado sobre a ampla vantagem. “Eu não estou preocupado com isso. Eu quero é ajudar o Brasil”, disse.

Sobre sua participação nos debates eleitorais na televisão, o presidenciável disse que vai aguardar a avaliação dos médicos, marcada para esta quinta-feira, 18, para tomar uma decisão. O capitão da reserva, contudo, admitiu que pode deixar de comparecer aos encontros com Haddad, mesmo se for liberado pela equipe médica. “Tudo na política é estratégia”, declarou.

Jair Bolsonaro afirmou ainda que não está fazendo “papel de vítima”. “Eu levei uma facada. Não era rinite, igual o Haddad teve e ficou sete dias sem ir (à prefeitura) de São Paulo. Perdi 2 litros de sangue, cortou o intestino grosso, fezes se espalharam por todo o meu organismo. Fui submetido a uma segunda cirurgia no dia 12, que começou às 9 horas da noite e terminou às 5 horas da manhã. Não foi uma brincadeira. Eu perdi 15 quilos, foi um atentado”, declarou.

O presidenciável admitiu ainda que sua eventual ausência também pode passar por uma decisão de campanha. “Vou debater com um poste, com um cara que é um pau-mandado do Lula? Tenha santa paciência”, disparou. “Tudo na política é estratégia. O Lula não compareceu ao debate, o último da Rede Globo, em 2006, se não me engano. Entra tudo no meio, eu decido em equipe.”

‘Compromisso pela família’

Antes de ir à sede da PF no Rio, Bolsonaro se encontrou com o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta. Ele não deu entrevistas à imprensa, mas fez um breve discurso durante o encontro, em que afirmou que se pôs à disposição do arcebispo para sempre “ouvi-lo com o coração aberto”.

“Assinamos um compromisso em defesa da família, em defesa da inocência da criança em sala de aula, em defesa da liberdade das religiões, contrário ao aborto, contrário à legalização das drogas. Ou seja, um compromisso que está no coração de todo brasileiro de bem”, disse o candidato do PSL.

A reunião ocorreu por volta das 9 horas, na Arquidiocese do Rio de Janeiro, na Glória, Zona Sul da capital. Segundo a arquidiocese, o encontro foi um pedido de Bolsonaro. Além do presidenciável, estiveram no local o presidente em exercício do PSL, Gustavo Bebianno, e o empresário Paulo Marinho, que é suplente do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Fonte: Veja

Publicidade
Compartilhe
Comentários
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
© ACONTECEU, TÁ NO MISÉRIA
Quer reproduzir nosso conteúdo no seu blog ou site? Estabeleça uma parceria clicando aqui.
Desenvolvido por Kleber Ferreira